Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O PSL vai chegar a 60 deputados federais logo no início da legislatura – oito além do número de parlamentares eleitos pela sigla nas eleições de 2018. Os cálculos são do deputado federal Heitor Freire, único integrante da bancada do PSL do Ceará na Câmara Federal. 


O PSL elegeu, em 2018, 52 deputados federais e, nesta quarta-feira, 30, já soma 55 parlamentares. Com as mudanças partidárias, o PSL se iguala ao PT – cada um, com 55 das 513 cadeiras da Câmara. Freire avalia que, com o início da legislatura a partir dessa sexta-feira, a bancada do PSL seja ampliada ainda mais.

Muitos eleitos no ano passado entraram no trota-troca de partidos porque as siglas pelas quais se elegerem não obtiveram um desempenho mínimo nas urnas —a chamada cláusula de barreira, o que permite aos eleitos por esses partidos mudarem de legendas sem risco de perder o mandato por infidelidade.


Lideranças nacionais do PT tem expectativa, também, sobre crescimento da representação na Câmara Federal. “O PT deve começar a legislatura com um a menos, mas no seu decorrer pode chegar a 57 deputados”, afirma Carlos Zarattini (PT-SP), citando recurso no caso do colega da Bahia e uma outra demanda judicial, em Santa Catarina, que pode resultar em uma vaga a mais para a sigla.