Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O deputado  André Figueiredo (PDT) perdeu, nesta quarta-feira, as esperanças de somar os votos da bancada do PSOL à sua candidatura a presidente da Mesa Diretora da Câmara Federal. O PSOL decidiu lançar a candidatura da  deputada federal Luiza Erundina, de São Paulo. A eleição será nessa quinta-feira, dia 2.  Erundina justificou a decisão após considerar frustrada a expectativa do PSOL de que, entre os candidatos, surgiria o nome que contemplasse as ideias da sigla.

“Não fazia sentido abrirmos mão de nossos compromissos’’, disse Erundina, para em seguida acrescentar: “Me sinto honrada com essa tarefa’’. Ela afirmou, ainda, que “O PSOL ficou dialogando na tentativa de construir esses compromissos’’. Com a entrada de Erundina, a disputa na Câmara conta com seis candidatos –  André Figueiredo (PDT)Jovair Arantes (PTB-GO)Rogério Rosso (PSD-DF)Julio Delgado (PSB-MG), além do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Com discurso em defesa da ética, Erundina declarou que, se assumir a chefia da Casa, vai mobilizar os deputados na “luta por Diretas Já e por uma reforma política que moralize e radicalize a democracia”. “Minha candidatura está sustentada em compromissos.” Com passagem pelo PT e PSB, Erundina foi prefeita de São Paulo no início dos anos 90.

Segundo o líder do PSOL na Câmara, deputado Chico Alencar (RJ), suas propostas dialogam com a sociedade. “É uma candidatura nada corporativista.”  A corrida pela Presidência da Câmara dos Deputados tem como favorito o atual chefe do Poder, Rodrigo Maia. Os aliados de Maia contam que poderão somar mais de 280 votos como diferença para o segundo colocado na eleição a ser realizada nessa quinta-feira. Se Maia não obtiver a maioria dos votos, a eleição vai ao segundo turno.

Com informação da A.I