Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Apesar do apoio de PMDB e PSDB, a sabatina de Alexandre de Moraes no Senado será tensa. O PT escalou um time de assessores para trabalhar exclusivamente nas questões que serão feitas pelos senadores do partido.

A encomenda é para montar um dossiê com temas “sensíveis” sobre Moraes. Como o PT não tem senadores de São Paulo, deputados do Estado, que conhecem sua vida, ajudam a elaborar perguntas. Com quatro vagas na CCJ, o PT quer sessão de 20 horas de duração e aposta no estilo bateu-levou de Moraes para desestabilizá-lo.

Os petistas vão pedir detalhes da atuação de Alexandre de Moraes como advogado de defesa de Eduardo Cunha e de uma cooperativa suspeita de envolvimento com o PCC.

Com informações O Estado de São Paulo