Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Enquanto o trabalhador da iniciativa privada sofre com alto índice de desemprego e baixo ganho salarial, os gastos do governo federal com a remuneração dos servidores públicos terão crescimento real de 6% entre 2015 e 2018. O custo da folha de pagamento com os funcionários dos Três Poderes vai subir 20,86% no período, agravando o déficit das contas públicas.

O Congresso impediu que o reajuste remuneratório das carreiras de Estado e dos militares de 2019 fosse adiado para 2020, o que amplia as chances para o descumprimento do teto no próximo ano. A Lei de Diretrizes Orçamentárias foi aprovada, nos moldes sugeridos pelo Supremo Tribunal Federal, que se mostrou contra a proibição dos aumentos salariais e a redução linear do custo administrativo da máquina pública federal. A recomendação da Corte foi seguida por deputados e senadores.

O texto aprovado derrubou a proibição de criação de cargos, que restringiria concursos públicos. O Ministério do Planejamento disse que os pedidos para abertura de processos seletivos estão em análise e que alguns podem ser autorizados em caráter excepcional.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp