Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Receita Federal alertou, nessa quinta-feira, para a volta do chamado “golpe do amor”, em que vítimas recebem instruções para realizar depósitos bancários em troca de valores e bens supostamente recolhidos pelo fisco.

Na fraude, golpistas criam perfis falsos nas redes sociais, geralmente passando por estrangeiros em boas condições financeiras. Após envolverem emocionalmente a vítima, manifestam intenção de casamento e dizem que enviaram, por remessa, presentes diversos. Para dar veracidade ao envio dos bens e documentos, os golpistas chegam a criar sites falsos de empresas de remessas expressas, “inclusive com falso rastreamento da suposta encomenda”.

Após o suposto envio dos presentes, o golpista alega que os bens foram retidos na alfândega e que é preciso realizar um depósito em conta de um “agente” para que haja a liberação da mercadoria. Em geral, é fornecida uma conta corrente de pessoa física para o depósito. Quando a vítima deposita o valor solicitado, a quadrilha faz nova exigência alegando outro empecilho para a liberação da remessa.

A Receita informa que não exige qualquer pagamento em espécie ou por meio de depósito em conta corrente. Nos casos de encomendas enviadas por remessa expressa, inclusive, é possível confirmar se a empresa está habilitada para operar no Brasil através do site da própria Receita.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp