Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), responsável por monitorar 155 açudes do Ceará, registrou que os aportes estão em 14,4% do volume total da capacidade.Dados recentes mostram que não há nenhum reservatório sangrando e apenas o açude Germinal, em Pacoti, tinha volume acima de 90%. Outros 93 açudes estavam com volume inferior a 30%.

O Castanhão, que abastece o Vale do Jaguaribe e a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), tem 2,57% da capacidade total. Já a bacia hidrográfica do Médio Jaguaribe, onde o maior reservatório do Estado está, é a que tem o pior cenário no Ceará, com 2,65% do volume. Nenhum dos 15 açudes de lá têm mais que 10% da capacidade.

Das 12 regiões hidrográficas do Ceará, Coreaú, Baixo Jaguribe e Litoral acumulam a melhor situação hídrica, enquanto os açudes com melhor volume de água são: Germinal, em Palmácia, com 99,3%; Gavião, em Pacatuba, com 81,5% e Jenipapo, em Meruoca, com 83,2%.

As informações são do Portal Hidrológico do Ceará, que aponta ainda 12 açudes completamente secos no Estado: Faé, Junco, Madeiro, Monsenhor Tabosa, Jatobá, Broco, Forquilha II, Adauto Bezerra, Joaquim Távora, São Mateus, Salão e Favelas.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp