Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Milhares de cearenses sofreram com os impacto deixados pela pandemia de coronavírus no Estado. No primeiro semestre de 2020, o Ceará perdeu cerca de 41,5 mil postos de trabalho, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta terça-feira (28) pelo Ministério da Economia.

Com o número, o estado alcança o 9º pior resultado entre os estados brasileiros, o que significa 152.806 admissões e 194.386 desligamentos. De acordo com os dados do Caged, só em junho, o Ceará teve um saldo negativo de 1.740 vagas, com mais de 20 mil desligamentos contra 18.667 admissões.

Isso faz com que o Estado chegue ao quarto mês consecutivo de retração do mercado de trabalho local neste ano.

Em todo país

Em todo Brasil, o saldo também é negativo no primeiro semestre com o encerramento de mais de 1,1 milhão postos de trabalho. De janeiro a junho, o País teve cerca de 7,9 milhões de desligamentos ante 6,7 milhões de admissões.

O Nordeste tem o segundo pior resultado do país, se comparado apenas as grandes regiões do país, no primeiro semestre de 2020.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp