Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, realiza nesta quarta-feira, 29, uma reunião de governo antes de informar ao Parlamento a ativação do Brexit, a saída do país da União Europeia (UE), segundo informações de fontes oficiais.

No início da manhã, a chefe do governo analisará com seus ministros em sua residência oficial o conteúdo da carta que será entregue ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, na qual o Reino Unido expressa sua vontade de se separar do bloco.

A carta – que será entregue em Bruxelas pelo embaixador britânico na UE, Tim Barrow -, leva a assinatura de May e comunica que o Reino Unido vai ativar o Artigo 50 do Tratado de Lisboa, que estabelece o início das negociações sobre a saída de um país comunitário.

Após a reunião do governo, a premiê seguirá para o Parlamento onde participará, a partir das 12h locais (8h em Brasília), da sessão semanal de perguntas na Câmara dos Comuns, onde depois fará uma declaração informando que o país ativou o Artigo 50.

Ao mesmo tempo, Barrow entregará a carta a Tusk. Após o discurso de May, o presidente do Conselho Europeu deve fazer uma declaração à imprensa.

O governo britânico divulgou uma foto que mostra a chefe do governo assinando a carta em sua residência com uma bandeira britânica ao lado.

Segundo alguns trechos de sua declaração divulgados pela imprensa, May destacará sua promessa de representar “cada pessoa do Reino Unido”, incluídos os cidadãos comunitários, durante os dois anos que durarão as negociações com Bruxelas.

“É minha firme decisão de começar o acordo adequado para cada pessoa neste país. Enquanto enfrentamos as oportunidades que temos pela frente neste caminho transcendental, nossos valores compartilhados, interesses e ambições podem, e devem, unir-nos”, ressaltará a primeira-ministra. “Somos uma grande união de pessoas e nações com uma história orgulhosa e um futuro brilhante. E agora que a decisão foi tomada de deixar a UE, é hora de união.”

Uma vez que a carta seja entregue, começará a contagem regressiva para o “divórcio” britânico, previsto para o dia 29 de março de 2019.

Com informações O Estado de São Paulo