Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Em junho, o índice da evolução do nível de atividade da indústria da construção cearense marcou 46,9 pontos. Embora abaixo da linha divisória dos 50 pontos, a queda no nível de atividade foi menos intensa que a verificada no mês anterior. No Brasil, o índice registrou 46,7 pontos. Os dados fazem parte da pesquisa Sondagem Industrial da Construção, realizada pelo Núcleo de Economia e Estratégia da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC).
“A indústria da construção cearense, após recuo acentuado em maio, apresentou melhora. Apesar do índice de evolução do nível de atividade permanecer abaixo da linha divisória dos 50 pontos, o índice apresentou acréscimo de 5,4 pontos em relação ao mês anterior. O resultado reflete, ainda que de forma incipiente, a retomada do setor após a normalização do transporte rodoviário de cargas”, analisa do economista da FIEC, Antonio Martins.
Apesar disso, o nível de atividade efetivo em relação ao usual continua na marca dos 35,7 pontos. O número de empregados também registrou queda no período, com índice marcando 41,1 para o Ceará e 43,4 pontos para o Brasil. Com relação às perspectivas para os próximos seis meses, os industriais cearenses da construção continuam com perspectivas favoráveis.
O indicador de julho referente à perspectiva quanto ao nível de atividade registrou 55,9 pontos no estado e 51,5 pontos no país; o de aquisição de novos empreendimentos e serviços foi de 53,2 pontos no Ceará e 50,2 no Brasil; e o de compra de insumos e matérias primas registrou 53,9 e 50,5 pontos no Ceará e Brasil, respectivamente. No entanto, o índice cearense de número de empregados sofreu queda em relação ao mês anterior, apresentando 49,7 pontos, enquanto no Brasil o índice passou de 48,1 pontos em junho para 49,2 pontos em julho. Já o indicador de intenção de investimentos ainda se encontra bem abaixo do esperado, marcando 32,9 pontos no Ceará e 31,3 pontos no Brasil.
COM FIEC
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp