Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

De acordo com as informações de setores dos serviços de Inteligência do governo federal. O Ceará, juntamente com os estados do Mato Grosso, Sergipe, Rondônia e Piauí, tem unidades prisionais classificadas como perigosas.

Segundo a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado do Ceará (Sejus) afirma, em nota, que promove um trabalho permanente de inteligência para a prevenção de conflitos nos presídios. “Recentemente, realizou uma grande movimentação de internos entre as unidades prisionais com esse objetivo. Ao longo dos dois últimos anos, a Sejus transferiu 41 internos para presídios federais, sendo o terceiro estado com mais internos nesses estabelecimentos, também realiza vistorias rotineiras em todas as unidades, além de investir em tecnologia inteligente de segurança. Essas são medidas que visam coibir o uso de ilícitos e desarticular a ação de internos das unidades prisionais”.

A Sejus relatou que trabalha na abertura de novas vagas para reduzir o excedente prisional e a consequente redução de conflitos. “Em 2016, cerca de 1,8 mil vagas foram abertas. Outras 1,2 mil vagas estão previstas para este ano”, salienta a pasta.