Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O deputado federal afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) enviou um documento ao Supremo Tribunal Federal no qual afirma que entregou à Polícia Federal uma mala com R$ 465 mil. A entrega, segundo a defesa do parlamentar, foi realizada na noite desta segunda-feira.

Junto ao documento, o peemedebista entregou o auto de infração, documento no qual a PF registrou a apreensão da mala. A Polícia Federal informa no registro que Rocha Loures devolveu o dinheiro em 9,3 mil cédulas de R$ 50.

Loures foi filmado recebendo a mala de dinheiro em restaurante nos Jardins, na capital paulista, e é apontado como intermediário do presidente Michel Temer para assuntos do grupo J&F com o governo. Segundo a investigação, o presidente Michel Temer indicou o deputado afastado para resolver uma disputa relativa ao preço do gás fornecido pela Petrobras à termelétrica do grupo JBS.

Joesley Batista, dono da JBS, marcou um encontro com Rocha Loures em Brasília e contou sobre sua demanda no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Pelo serviço, Joesley ofereceu propina de 5%, e o deputado deu o aval.

O deputado afastado foi filmado pela PF recebendo uma bolsa que, segundo JoesleyBatsta, tinha R$ 500 mil enviados pela empresa. De acordo com o delator, o pagamento a Rocha Loures seria semanal e no mesmo valor pelo período de 20 anos.