Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em atividade pouco ligada à atividade legislativa, mas intensa, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), esteve ontem no Espírito Santo e no Rio de Janeiro para participar de reuniões que tratavam de ações nos ministérios das Cidades e da Educação nos estados. Segundo ele, os encontros foram de caráter administrativo e nada tem a ver com as articulações do lançamento da sua pré-candidatura à Presidência da República, mesmo admitindo que as conversas políticas fazem parte das pautas de sua agenda.

O colunista do jornal O Globo, Lauro Jardim, confirmou nessa quarta-feira, 10, que Maia informará a sua pré-candidatura ao Planalto no dia 28 de fevereiro. O DEM, partido do parlamentar, deve, inclusive, adiar a convenção nacional da legenda, marcada originalmente para o dia 6 do mesmo mês. A mudança atende o pedido do presidente da Câmara que só quer, publicamente, na pré-campanha após a votação da reforma da Previdência, prevista para 19 de fevereiro.

A pré-candidatura de Maia ganhou força após ele admitir, recentemente, que não descarta essa possibilidade e que o campo de centro não deve ter apenas um candidato para tentar quebrar a polarização demonstrada até agora pelas pesquisas entre as pré-candidaturas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que lideram as intenções de voto.

As articulações de Maia para uma possível candidatura à cargo de Presidente têm apoio dos Partidos Progressista (PP) e Solidariedade, legenda que fazem parte do bloco de partidos do chamado Centrão e que dão apoio ao governo do presidente Michel Temer no Congresso. Rodrigo Maia disse que seu nome está cogitado porque há um cenário de “deserto na política” e uma “avenida aberta” para alianças que busquem vencer as eleições.

Viagens a México e EUA

No Rio de Janeiro, o presidente da Câmara almoçou com o presidente de um dos partidos que têm apoiado seu projeto, o deputado Paulo Pereira (Solidariedade), conhecida como Paulinho da Força. Além disso, Maia participou de uma reunião com o prefeito Marcelo Crivella e com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, para discutir ações sobre o impacto das chuvas fortes.

O presidente da Câmara confirmou que viajará ao exterior nos próximos dias. Primeiro aos Estados Unidos, onde fará uma palestra e tem reunião prevista com o secretário-geral da ONU, António Guterres e depois ao México, onde participa de um encontro anual do banco Santander. De acordo com Maia, as viagens já estavam programadas e não têm como objetivo ganhar visibilidade para um projeto presidencial.

Com informações do Jornal O Globo