Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente Salmito Filho (PDT), durante a sessão ordinária desta terça-feira, 13,  anunciou a criação de uma Frente Parlamentar Mista com a participação da Câmara Municipal de Fortaleza, Assembleia Legislativa do Estado, Universidades, Movimentos da Juventude e representantes da sociedade civil. O presidente também destacou que só haverá uma cultura de paz quando o Brasil contar com uma política de segurança pública nacional e diminuir os índices de desigualdade social.

Em discussão do Requerimento nº 949/2018, de autoria da vereadora Larissa Gaspar (PPL), que inclui nos anais a matéria “Procuradores Gerais querem aumentar penalidades de adolescentes”, o presidente Salmito Filho ponderou sobre a problemática da violência no Estado. Segundo o presidente, não se resolve a situação com polícia. “Não vamos resolver isso com polícia. O papel da polícia ela está fazendo. Nas chacinas, a polícia cumpriu seu papel, investigou e prendeu, inclusive com agilidade e competência de forma exemplar. Portanto parabéns ao Governador, a Polícia Militar, a Polícia Civil e ao Secretário de Segurança”, destacou.

O desafio, conforme apontou Salmito Filho, é como evitar que situações como as chacinas aconteçam na cidade.“A população não quer ser uma vítima em potencial de um homicídio e isso não será resolvido com polícia. O que temos que discutir é como podemos evitar que isso aconteça, e nesse aspecto é que isso se mostra como um grande desafio, pois grande parte dos autores que praticam essas ações são jovens, que muitas vezes são seduzidos pelas facções”, pontuou.

Para Salmito Filho, a juventude, na procura por uma identidade e influenciada pela cultura de consumo, acaba se associando a “caminhos fáceis” para obter o que deseja. “Essa juventude, os nossos adolescentes da periferia, da Cajazeiras, do Bom Jardim, do Dendê, do Pirambu, eles precisam ter acesso à identidade. Porque é que as torcidas são tão fortes? Porque os jovens estão procurando uma identidade. E nessa cultura do mercado do consumo que é aceito pela nossa sociedade, é o que os nossos adolescentes estão buscando e acabam encontrando um caminho mais fácil, se associando as facções criminosas”, refletiu.

“Não existe uma política pública de segurança no Brasil. A política pública não é ação governamental, e sim uma construção com debate e participação da sociedade civil, estabelecendo um relatório e projeto com metas, objetivos, com legislação, avaliação, e recurso financeiro. Esse conjunto é uma política pública. Portanto, só teremos uma cultura de paz quando diminuirmos a desigualdade social e fazermos uma política pública nacional, construída com a sociedade civil brasileira, com metas a curto, médio e longo prazo”, defendeu.

Salmito destacou que medidas já estão sendo adotadas pela atual gestão, mas ressaltou que os resultados não serão a curto prazo. “O corpo do problema é uma herança histórica que o poder público tem com a população. Temos que ter escolas em tempo integral, equipamentos para a juventude, onde os jovens possam ter a oportunidade de fazer um curso profissionalizante, de conseguir um emprego e ganhar bem. E isso já está sendo trabalhado pela gestão do prefeito, Roberto Cláudio, seja com as Areninhas, com os Cuca’s, as escolas, entre outras iniciativas”, frisou.

O presidente finalizou sua fala anunciando que a Câmara Municipal dará sua contribuição na pauta de segurança pública através da criação da Frente Parlamentar Mista. “A Câmara Municipal de Fortaleza pode sim fazer o debate sobre o papel do município na segurança e cultura de paz. E vamos criar uma Frente Parlamentar Mista e quero contar com todos os vereadores para unirmos forças e construirmos uma pauta e apresentarmos um relatório ao governador Camilo Santana”, ressaltou.

Com informações da Agência CMFor

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp