Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com 2,3 mil casos confirmados de sarampo  nos últimos três meses, o Brasil vive um surto da doença. Entre os Estados com o maior número de registros da doença, o estado de São Paulo já confirmou uma morte e 2.299 casos, 98% do total. No Ceará, de acordo com a Secretária da Saúde, neste ano, foram notificados 98 casos suspeitos, mas 88 foram descartados, 9 seguem em investigação e apenas um caso foi confirmado até o momento.

Diante da evolução do surto no país, o Ministério da Saúde anunciou esta semana a aquisição de mais 18,7 milhões de doses de vacina contra o sarampo. O governo tem intensificado a imunização com foco em crianças de até 1 ano e adultos jovens.

Além disso, o governo anunciou ainda uma nova recomendação para imunização para conter o avanço da doença. O Ministério da Saúde recomenda que crianças entre seis meses e 1 ano  recebam uma dose extra da vacina, com uma imunização denominada “dose zero”. A única forma de prevenção da doença é a vacinação.

O que é o sarampo?

O sarampo é uma doença viral grave e altamente contagiosa que pode evoluir para complicações e levar à morte. É transmitido por um vírus. A transmissão ocorre no contato de pessoa para pessoa e pela propagação no ar. A doença pode ser transmitida em espaço público mesmo que não haja contato de uma pessoa com outra. Grandes surtos têm ocorrido em locais de aglomeração como escolas, clubes, aeroportos e shoppings.

A pessoa que tem sarampo pode começar a transmitir a doença cerca de cinco dias antes de aparecerem as manchas na pele. Além disso, ela continua transmitindo o vírus quatro dias depois das erupções terem desaparecido.

Quais os sintomas?

Os primeiros sintomas são febre, tosse, coriza, como se fosse um resfriado comum. O paciente pode ter perda de apetite e apresentar conjuntivite, com olhos vermelhos, lacrimejantes e fotofobia.

Surgem manchas vermelhas na pele. Essas erupções começam no rosto, na região atrás da orelha, e vão se espalhando pelo corpo. O paciente também pode sentir dor de garganta.

A maioria dos pacientes começa a se sentir melhor depois de dois dias do início da erupção cutânea. Depois de três a quatro dias, as manchas começam a ficar mais castanhas e tendem a desaparecer. A pele pode descamar como se fosse uma queimadura de sol. Muitos ainda têm tosse por uma ou duas semanas.

Qual o tratamento?

Não existe tratamento específico para o sarampo. É necessário que o paciente faça repouso e beba bastante líquido para evitar a desidratação. Como é uma virose, o tratamento é de suporte e tem apenas o objetivo de melhorar o conforto do paciente.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp