Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os municípios cearenses terão agora mais dinheiro destinado à saúde para auxiliar atendimentos, isso porque o Ministério da Saúde irá destinar cerca de R$ 260 milhões aos Municípios e DF para Ações de Apoio à Gestação e Puerpério Saudáveis.

Essa medida, publicada na Portaria de 25 de agosto de 2020, visa fortalecer o cuidado adequado às gestantes e puérperas em todos os pontos de atenção da rede de saúde, no contexto da pandemia de coronavírus, com ações estratégicas como: Identificação precoce, o acompanhamento e o monitoramento de gestantes e puérperas com síndrome gripal, síndrome respiratória aguda grave ou com suspeita ou confirmação de covid-19; Qualificação das ações ao pré-natal, parto e puerpério; e Suporte ao distanciamento social para gestantes e puérperas que não possuam condições para realização de isolamento domiciliar.

As ações trazem diferentes incentivos financeiros para que o gestores e profissionais da saúde organizem os serviços. Terá repasse adicional aos municípios e DF por cada gestante e puérpera com cadastro atualizado na Atenção Primária à Saúde (APS). Isso quer dizer que o Município recebe mais também a cada nova gestante que passa a ser acompanhada no pré-natal.

Outro incentivo (R$ 800,00) é para as equipes de Saúde da Família (eSF) e equipes de Atenção Primária (eaP) que possuam gestante cadastrada em qualquer idade gestacional, a fim de apoiar ações de cuidado de gestantes e puérperas cobertas pela Atenção Primária.

Além disso, irá repassar recurso adicional de até R$ 7.280,00 por cada mulher grávida ou puérpera para apoiar o distanciamento social. O incentivo poderá ser utilizado pelos gestores municipais, de modo a serem providenciados aspectos como a acomodação, o suporte, e o cuidado seguros às gestantes e puérperas identificadas pelas equipes de saúde, a fim de apoiar ações de distanciamento social e cuidado de gestantes e puérperas em ambiente intradomiciliar.

Organizar o ambiente dos serviços de saúde para um melhor fluxo de acolhimento seguro no pré-natal, parto e puerpério também está entre as ações, assim como um incentivo financeiro (R$ 10.000,00) e temporário para Casas de Gestante, Bebê e Puérpera em funcionamento, tudo para viabilizar isolamento e distanciamento social de gestantes e puérperas quando for adequado.

As gestantes e puérperas são mais vulneráveis a infecções e, por isso, são classificadas como grupo de risco tanto para a Covid-19 quanto para o vírus da gripe. Portanto, os cuidados com gestantes e puérperas devem ser rigorosos e contínuos, independentemente do histórico clínico das pacientes.

No atual cenário da pandemia da Covid-19 no Brasil, o Ministério da Saúde defende que todos os pacientes que requerem cuidados especiais, como as pacientes gestantes, procurem avaliação médica periódica. Cabe ao profissional de saúde habilitado acompanhar a gestação no pré-natal e orientar o tratamento ideal. Todas as pessoas que apresentarem sintomas devem procurar o serviço de saúde mais próximo.

(*) Com informações da APRECE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp