Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Apresentada no começo deste mês, a reforma administrativa da Câmara, que tramita no Congresso, pode gerar uma economia anual de R$ 400 milhões aos cofres do Governo. Para chegar a esse valor, uma das propostas é a extinção de 1500 cargos dentro da administração público, sendo mil cargos efetivos e outros quinhentos, comissionados.

A projeção de economia foi feita pelo diretor-geral da Casa, Sérgio Sampaio. Segundo Sampaio, a reforma administrativa tem como objetivo adequar o Parlamento ao teto de gastos, que limita o aumento das despesas públicas.

Outras medidas administrativas também serão tomadas para dar mais folga aos cofres públicos, como implementar a promoção na carreira por resultados através do desempenho individual; estabelecer critérios e requisitos para assumir funções comissionadas e vincular os benefícios de servidores a desempenho; e redução dos níveis de hierarquia formais, ou seja, extinguir alguns cargos de chefia.

Se aprovada, algumas mudanças já entrariam em vigência imediata, como as alterações na carreira legislativa e suas respectivas remunerações.

Com informações da Agência Câmara de Notícias