Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em meio à pandemia de coronavírus, a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) traçou diversas estratégias para fortalecer a prevenção à Covid-19 no Estado e, com isso, diminuir o risco de transmissão da doença. As ações contemplam toda a população cearense, incluindo pessoas em situação de rua, que estão ainda mais vulneráveis à infecção.

Diante dessa realidade, a Sesa desenvolveu o Projeto Rede Rua: Ações Emergenciais para Pessoas em Situação de Rua na Pandemia de Coronavírus. O objetivo é estimular a prevenção e o cuidado, além de garantir segurança para profissionais que trabalham com esse segmento populacional.

“As pessoas em situação de rua apresentam maior condição de vulnerabilidade, pois não possuem moradia, dormem nas calçadas das cidades e têm pouco acesso a espaços de cuidado. Portanto, é preciso priorizar o acesso às redes de saúde e demais redes sociais de apoio, principalmente nesse momento de pandemia”, explica Rane Félix, coordenadora de Políticas Intersetoriais da Sesa.

A iniciativa permitiu a entrega de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e de insumos de higiene para 20 entidades, sendo 14 da rede não governamental em Fortaleza e na Região Metropolitana e seis da rede governamental, que incluem Centros Pop localizados na capital cearense e em Caucaia, Pacajus, Pacatuba e Juazeiro do Norte.

Ao todo, já foram distribuídos mais de 83,4 mil itens de EPIs e insumos, como máscaras simples e cirúrgicas N95, luvas, aventais, óculos de proteção, toucas e tubos álcool em gel. A Associação de Amparo aos Pacientes de Tuberculose (APTU) foi uma das entidades auxiliadas pela Sesa. Durante a pandemia, a instituição atende, em média, 150 pessoas em situação de rua por dia.

“Os materiais recebidos foram de grande importância, pois, além de fazer a distribuição, nós reforçamos a proteção da nossa equipe”, conta Argina Gondim, fundadora e voluntária da APTU.

Orientação

A Secretaria da Saúde do Estado elaborou uma nota técnica com orientações específicas sobre a assistência às pessoas em situação de rua. O documento é para orientar sobre a atuação de profissionais de saúde e embasar o trabalho realizado por instituições governamentais e não governamentais. Confira o arquivo.

“Entendemos que a nota técnica tem contribuído para a atuação dos profissionais dos serviços de saúde, tais como as equipes dos Consultórios na Rua, profissionais da Assistência Social, Organizações Não Governamentais, associações comunitárias, coletivos, entidades religiosas e demais organizações da sociedade civil que desenvolvem ações junto às pessoas em situação de rua”, completa Rane Félix.

(*)com informação do Governo do Estado do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp