Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) divulga, nesta terça-feira (11), o boletim epidemiológico mensal das arboviroses. De acordo com o informe, 14.193 casos de dengues já foram confirmados no estado até o dia 27 de julho deste ano. Fortaleza concentra 45,8% das ocorrências da doença, com 6.073 pessoas infectadas.

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica e Prevenção da Sesa, Ricristhi Gonçalves, reforça a importância de prevenção às arbovirores ao longo de todo ano. Em tempos de pandemia, a população deve manter os cuidados em dia para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya.

“Os cuidados não podem parar. É necessário observar e eliminar os focos de mosquito, ou seja, o ambiente em que ele se desenvolve. São ações simples de inspeção em casa, no comércio, em seu trabalho. Precisamos lembrar que ainda estamos tendo arboviroses”, pontua Ricristhi.

A prevenção é a principal forma de combater o Aedes aegypti. Por isso, recomenda-se manter os quintais sempre limpos e recolher objetos que possa acumular água, como pneus velhos, latas, recipientes plásticos, tampas de garrafas, copos descartáveis e até cascas de ovos. O lixo doméstico deve ser acondicionado em sacos plásticos e descartado adequadamente, em depósitos fechados.

O boletim epidemiológico é uma das ferramentas de monitoramento dos dados de transmissão das arbovirores. Ainda de acordo com o documento, o Ceará contabilizou 410 de chikungunya e 28 de zika ao longo deste ano.

(*)com informação do Governo do Estado do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp