Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

As ações para cortar a comunicação entre os líderes de facções presos e seus subordinados, fora dos presídios, já conseguiram apreender cerca de 2.300 aparelhos celulares que estavam ns posse de presidiários, desde o início do ano. As vistorias internas nas unidades prisionais do Ceará continuam. Foram recolhidas também aparelhos de televisão e armas brancas.

A Secretaria da Administração Penitenciária já desativou 84 cadeias públicas em todo o estado e cerca de 2.500 detentos dessas prisões foram redistribuídos em outras unidades prisionais. Agentes penitenciários também foram realocados para dar suporte em todo o sistema penitenciário. Ocorreu ainda a transferência de 39 presos para presídios federais.

As medidas fazem parte de estratégia para estancar a comunicação e a informação entre internos e criminosos que atuam fora das prisões.

Nessa terça-feira foi publicada uma portaria com novas restrições sobre a entrada de alimentos e objetos pessoais nas unidades prisionais. A partir de agora, familiares só poderão levar alimentos extras para os presídios em dias de visita. Nos outros dias, os presos terão a dieta restrita às cinco refeições diárias oferecidas pelo Estado.