Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com gol de Richarlison no fim da primeira etapa, o Brasil venceu a seleção de Camarões em seu último compromisso de 2018. O jogador substituiu o principal nome da seleção, Neymar, que se lesionou logo nos primeiros minutos da discreta participação brasileira. Com a saída do jogador, a partida dessa terça-feira, 20, pode ter criado uma preocupação que vai além da seleção canarinha.

Embora seja financeiramente mais valiosa que Camarões, a equipe de Tite demorou para se recuperar da perda de seu principal jogador e pouco criou em campo. De acordo com Rodrigo Lasmar, médico da seleção, o atacante sentiu um “desconforto na virilha”.

Neymar está a oito dias da partida mais importante de sua temporada até aqui; no dia 28 de novembro, em Paris, o PSG encara o Liverpool e pode até ser eliminado precocemente na fase de grupos da Champions League.

Richarlison foi o melhor em campo

Na vitória sobre o Uruguai, Richarlison não teve chance de comemorar um gol com a “dancinha do pombo” proposta por Davi Lucca, filho de Neymar. Contra Camarões, ele enfim foi premiado com o gol de cabeça e pôde dançar. Elogiado por Tite como uma “surpresa agradável” pós-Copa, o atacante saiu do banco no início do jogo e teve estrela para salvar uma atuação coletivamente fraca.

Gabriel Jesus no lugar de Firmino

Ao colocar Ondoa no lugar de Onana para o segundo tempo, o técnico Seedorf não previu os calafrios que sentiria. Na volta do intervalo, o goleiro falhou feio na saída de bola, diante de Gabriel Jesus, e só não foi vazado porque o atacante brasileiro acertou a trave com o gol vazio.

Depois dos 40 do segundo tempo, Jesus recebeu a bola na pequena área, teve nova chance de ampliar e chutou em cima de Ondoa. Muita ansiedade e pouco poder de decisão para um camisa 9 que entrou no segundo tempo e busca reconquistar seu espaço como goleador.

Lesão de Neymar

Neymar não teve tempo para fazer muita coisa. Antes dos cinco minutos, tentou gingar diante de Kunde, pela esquerda do ataque, e sentiu as primeiras dores. O craque já levantou o braço e pediu para ser atendido fora do campo.

O camisa 10 chegou a voltar, mas desabou de vez aos seis minutos, quando arriscou um chute de fora da área e imediatamente colocou a mão na virilha. No último compromisso da seleção brasileira em 2018, Neymar foi substituído por Richarlison.

Após ouvir o médico Rodrigo Lasmar, a TV Globo informou que o craque sentiu dores no músculo adutor, mas ainda não é possível prever a gravidade da lesão.

Sem o 10, Brasil passa a assistir ao jogo do rival

A seleção brasileira é financeiramente mais valiosa que a de Camarões, mas a equipe de Tite sentiu muito a ausência de Neymar. Enquanto pareciam incapazes de criar por outros caminhos, os atletas do Brasil se tornaram espectadores e coadjuvantes do que ocorria em campo.

Não que Camarões tenha levado muito perigo, mas colocou a seleção na roda ao trocar passes com mais consciência e tranquilidade. Este cenário só se inverteu aos 43, quando Allan cruzou com veneno e Djoum desviou na direção do próprio gol, exigindo boa defesa de Onana.

Na sequência, em cobrança de escanteio, Richarlison cabeceou, abriu o placar e salvou o discreto futebol do Brasil.

Arthur acerta travessão em 2º tempo morno

Não é exagero dizer que os 45 minutos finais tiveram mais substituições e abraços do que jogadas marcantes dos dois lados. O lance de destaque ficou por conta de Arthur, que chutou de fora da área aos 21 e acertou o travessão.

Assim como o restante da equipe, Arthur não conseguiu brilhar do meio para frente, mas isto se deve ao fato de que atuou mais recuado que o normal.

Tite testa mudanças

Depois de agradar ao treinador no segundo tempo da vitória sobre o Uruguai, Allan foi titular nesta terça; seus primeiros minutos foram bons e renderam lances promissores no ataque, mas o ritmo do meio-campista diminuiu progressivamente.

Além do atleta do Napoli, Paulinho e Willian também voltaram ao time principal e atuaram até a metade do segundo tempo, sem brilho ou falhas. Ederson substituiu Alisson no gol, em rodízio previamente definido por Tite, e foi seguro diante de um adversário com pouco poder ofensivo.

Além de ter sido obrigado a gastar uma alteração logo no início da partida, com a lesão de Neymar, o técnico ainda surpreendeu ao mexer no time na volta do intervalo, quando trocou Firmino por Gabriel Jesus.

Com informações do UOL 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp