Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Senado rejeitou, por 53 votos a 16, um destaque do Partido Progressista (PP) à PEC que trata do adiamento das eleições. A proposta do PP sugeriu a transferência das eleições municipais para 2022 e, como consequência, a prorrogação dos mandatos dos atuais prefeitos e vereadores.

O líder do PP, senador Ciro Nogueira (PI), argumentou que o adiamento do pleito por poucos dias mantém os riscos sanitários para candidatos, servidores da Justiça Eleitoral e eleitores serem contaminados pela Covid-19. Ciro disse, ainda, que, antes de tudo, deve estar o respeito à vida humana, daí defender que a escolha dos novos prefeitos e vereadores deveria ficar para 2022.

O relator da PEC, senador Weverton Rocha (PDT-MA), se opôs ao destaque proposto pelo PP e classificou como casuísmo a prorrogação de mandatos dos atuais prefeitos e vereadores.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp