Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com a anunciação da reabertura de cerca de 650, das 1.500 agências do INSS pelo governo para atendimento presencial a partir desta segunda-feira (14), representantes dos servidores orientam greve sanitária contra a medida. A categoria afirma de que não irá retornar aos postos e que continuarão ao serviço em home office.

O diretor do Sinsprev e da Fenasps, entidades que representam os trabalhadores, diz que a categoria reivindica a manutenção do trabalho remoto e afirma que, caso o INSS mantenha a reabertura para segunda-feira, os servidores não deverão retornar aos locais de trabalho. No Ceará menos da metade das 89 unidades retomarão o atendimento, sendo cinco agências em Fortaleza e uma em Caucaia.

O motivo da greve, de acordo com queixas de servidores se deve a falta de segurança e higiene nos postos. O diretor Cristiano Machado, diz entender que “Não há uma política séria do governo de controle da pandemia, e que não há nenhuma vacina e ainda que garanta a não contaminação, não é o momento de abrir”.

Os peritos do INSS também decidiram a não retomada aos postos de trabalho nesta semana. Segundo o presidente da Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social (ANMP), Luiz Carlos de Teive e Argolo, a decisão, por hora, foi tomada com o objetivo de proteger os profissionais contra o risco de contaminação da covid-19.

O presidente da ANMP também considera que aproximadamente 90% dos consultórios médicos destinados à realização de perícia nas agências do INSS estão inapropriados, o que compromete diretamente o trabalho de prevenção contra a Covid-19, e alega que os problemas listam desde a falta de limpeza em equipamentos de ar condicionado, como espaço insuficiente para que se tenha o respeito ao distanciamento social entre médicos e segurados, além também na ausência de demarcação de filas e assentos.

Diante de todos esses fatores, Argolo informa que o INSS selecionou somente 12 agências em todo o Brasil que, segundo o instituto, poderiam oferecer o serviço de perícia já a partir de segunda-feira. Argolo também foi categórico sobre a volta dos peritos definitivamente, que exige do INSS a realização de novos contratos para prestação de serviços, aderindo uma nova rotina de limpeza após cada perícia realizada e acrescenta que é importante um reforço na parte de segurança, contando com possíveis insistências por parte de segurados ao atendimento presencial mesmo sem ter feito agendamento.

Ao finalizar, o presidente da Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social considera não haver necessidade da volta imediata dos peritos, principalmente por conta da antecipação do Benefício de Prestação Continuada (BPC) e do auxílio-doença, de modo que os benefícios passassem a ser liberados sem perícia física, somente com a entrega de atestado ou laudo médico.

Durante coletiva realizada na semana passada, o Secretário Especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco Leal, alegou que não vê a greve como algo possível e que o governo tem ouvido todos os servidores.

Vale lembrar que a reabertura dos postos do INSS chegou a ser adiada sete vezes, justamente pela resistência dos seus servidores. O INSS vai reabrir na segunda suas maiores agências, responsáveis por cerca de 70% da demanda, em horário reduzido de 7h da manhá até 13h da tarde. Para ter o atendimento garantido o segurado precisa agendar data e hora pelo Meu INSS ou pelo telefone 135.