Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O setor público consolidado (Governo Central, Estados, municípios e estatais, com exceção da Petrobras e Eletrobras) apresentou superávit primário de R$ 12,908 bilhões em abril, informou há pouco o Banco Central. Em março, havia sido registrado déficit de R$ 11,047 bilhões e, em abril de 2016, um superávit de R$ 10,182 bilhões. O resultado de 12 meses até abril, no entanto, somou um déficit primário de R$ 145,096 bilhões.

O superávit primário de R$ 12,908 bilhões em abril é o melhor resultado para o mês desde 2015. A série histórica foi iniciada em dezembro de 2001.

O resultado fiscal de abril foi composto por um superávit de R$ 11,451 bilhões do Governo Central (Tesouro, Banco Central e INSS). Os governos regionais (Estados e municípios) influenciaram o resultado positivamente com R$ 867 milhões no mês. Enquanto os Estados registraram superávit de R$ 828 milhões, os municípios tiveram resultado positivo de R$ 39 milhões. Já as empresas estatais registraram superávit primário de R$ 590 milhões.

O déficit primário do setor público consolidado considerado pelo Banco Central é de R$ 143,1 bilhões para 2017, parâmetro que consta na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Essa projeção leva em conta um rombo de R$ 139,0 bilhões para o Governo Central em 2017.

No ano, as contas do setor público acumulam superávit primário de R$ 15,106 bilhões. A quantia representa 0,72% do Produto Interno Bruto (PIB). No mesmo período do ano passado, havia superávit primário de R$ 4,411 bilhões ou 0,22% do PIB.

No resultado fiscal no acumulado de janeiro a abril houve déficit de R$ 2,712 bilhões do Governo Central (0,13% do PIB). Os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram saldo positivo de R$ 17,863 bilhões (0,86% do PIB). Enquanto os Estados registraram superávit de R$ 14,270 bilhões (0,68% do PIB), os municípios alcançaram um resultado positivo de R$ 3,593 milhões (0,17% do PIB). As empresas estatais registraram um déficit de R$ 46 milhões no acumulado deste ano.

Déficit. As contas do setor público acumulam um déficit primário de R$ 145,096 bilhões em 12 meses até abril, o equivalente a 2,29% do Produto Interno Bruto (PIB). Este porcentual é o menor desde outubro de 2016, quando estava em 2,21%.

O BC leva em conta, em suas projeções, as previsões do governo para a área fiscal contidas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), de déficit de R$ 143,1 bilhões para 2017. Essa projeção considera um rombo de R$ R$ 139,0 bilhões para o Governo Central em 2017.

O déficit fiscal nos 12 meses encerrados em abril pode ser atribuído ao rombo de R$ 156,421 bilhões do Governo Central (2,47% do PIB). Os governos regionais (Estados e municípios) apresentaram um superávit de R$ 11,115 bilhões (0,18% do PIB) em 12 meses até abril.

Enquanto os Estados registraram um superávit de R$ 10,647 bilhões, os municípios tiveram um saldo positivo de R$ 468 milhões. As empresas estatais registraram um resultado positivo de R$ 209 milhões no período.

Com informações O Estado de São Paulo