Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A população acompanha com medo e muito pênico a invasão do mosquito Aedes aegypit, que transmite a dengue, zika e chicungunya. Porém, além dessas doenças, o mosquito transmite outras doenças ainda mais assustadoras, como a sífilis, que tem se propagado em silêncio.

Estudos apontam que, em adultos, os sintomas podem levar anos para aparecer ou até mesmo nunca se manifestarem. Sem os cuidados devidos, o risco se amplia entre casais e filhos. Muitas mulheres infectadas – que desconhecem ter o problema – engravidam e transmitem a bactéria Treponema pallidum a seus bebês.

Até os dois anos de idade, a criança que nasce com sífilis deve permanecer em acompanhamento, pois com o passar do tempo problemas como alterações ósseas, anemia e danos na médula podem surgir. Se não tratada corretamente, a doença pode se manifestar, depois dessa idade, com consequências como cegueira e surdez.

O correspondente do Jornal Alerta Geral (Expresso FM 104,3 Fortaleza e Região Metropolitana e mais 20 emissoras no Interior do Ceará), Carlos Silva, traz mais informações sobre o problema.

Carlos Silva – Sífilis em gestantes