90 estudantes de medicina terão formação antecipada par atuar no combate ao coronavírus

A decisão judicial foi favorável a uma ação interposta pelo Sindicato dos Médicos do Ceará.

Motivada pela necessidade de haver reforço da área médica devido à pandemia do Covid-19 que já tem caosos confirmados no estado, a Justiça Federal decidiu que 90 estudantes do curso de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) estão autorizados a se formar antecipadamente. Até a noite desta terça-feira (24), estavam confirmados 185 casos da doença no Ceará.

A decisão judicial foi favorável a uma ação interposta pelo Sindicato dos Médicos do Ceará. Conforme o Sindicato, houve pedido de Tutela de Urgência e o despacho foi divulgado nesta terça-feira (24). A ação foi impetrada junto à Advocacia Geral da União.

“O pleito do Sindicato, que atenderá 90 estudantes, foi motivado, sobretudo, pelo impacto que a propagação do coronavírus está causando nos serviços de saúde, sendo urgente a necessidade de salvaguarda e ou realocação dos profissionais que atuam na linha de frente da doença e integram o grupo de risco – gestantes, idosos (acima de 60 anos, principalmente diabéticos e hipertensos), pessoas com doenças respiratórias crônicas e imunudeprimidos (em hemodiálise e quimioterapia, por exemplo)”, disse o Sindicato dos Médicos.

Leia a Anterior

Alívio para cearenses: Aneel impede corte de energia por falta de pagamento de consumidores

Leia a Próxima

Ministério do Turismo quer FGTS e seguro para empregados do setor durante pandemia