Com mais opções no banco, Ceará vai ao Rio encarar o Fluminense pelo Brasileirão

Felipe Silva | Foto: Julio Caesar/O POVO (Reprodução)

O Ceará vai ao Rio de Janeiro nesta segunda-feira (15) encarar o Fluminense pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro. O jogo marca um confronto direto pela permanência na primeira divisão do ano que vem e aumenta as expectativas sobre o futuro do Vozão na competição. Com novas peças e jogadores saindo do departamento médico, o time sonha com um bom retorno à competição.

O Alvinegro ocupa a 13ª posição com 10 pontos, três acima do adversário, que abre o Z-4 com 8 pontos. Apesar dos recentes reforços, a chegada do meia Lima e do atacante Felippe Cardoso, além da recuperação dos meias Felipe e Wescley, o técnico Enderson Moreira deve dar espaço ao atacante que veio do Santos e manter a formação que vinha jogando.

Enderson acredita que mais de três modificações na equipe pode desconfigurar o esquema tático e prejudicar o desempenho do Alvinegro. Mesmo assim, é inegável que as peças que estarão no banco de reservas surtem um efeito positivo na equipe.

Das expectativas, Juninho Quixadá (que ainda não atuou nessa temporada) ainda não fará sua estreia. O meia Wescley também não deve jogar, assim como o volante Pedro Ken. A ideia é recuperar os jogadores para evitar novas lesões. Bergson ainda se recupera de lesão e, com a chegada de Cardoso, deve brigar pela titularidade a partir do próximo jogo.

Apesar disso, o Vozão terá à disposição nomes como Felipe Silva, Matheus Gonçalves e Thiago Galhardo. Com a parada para a disputa da Copa América, a torcida guarda a esperança de que o Vozão mantenha um bom ritmo de jogo e consiga transformar boas atuações em bolas na rede.

Fluminense e Ceará se enfrentam hoje a partir das 20h, no Maracanã (Rio de Janeiro), pela 10ª rodada do Campeonato Brasileiro, com transmissão do Premiere e de suas plataformas (site e aplicativo). 

Leia a Anterior

Beto Almeida condena malvadeza com idosos na exigência de ‘prova de vida’ imposta pelo INSS

Leia a Próxima

Mercado reduz estimativa de crescimento da economia para 0,81%, diz BC