Em entrevista a rádio, Marina diz que ‘de jeito nenhum’ vai compor chapa com Alckmin

A ex-senador Marina Silva, pré-candidata à Presidência da República pela Rede Sustentabilidade, afastou a possibilidade de firmar uma coligação com o PSDB, partido que lançou o ex-governador Geraldo Alckmin como pré-candidato ao Planalto.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, nesta quinta-feira, 7, Marina, quando perguntada sobre uma chapa entre ela e Alckmin disse que “de jeito nenhum’ aceitaria ser candidata à vice-presidência em uma aliança encabeçada pelo tucano paulista.

Também nesta quinta-feira, 7, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse, ao colunista do Jornal O Globo, Bernardo Mello Franco, que “não convém fechar portas” sobre uma possível aliança com Marina Silva. De acordo com o ex-presidente, o desempenho dos candidatos nas pesquisas eleitorais vai ditar um possível acordo entre ambos.

Auxiliares de Marina Silva indicam que a admiração de Fernando Henrique por Marina sempre existiu mas que não há qualquer aproximação realizada pelo ex-presidente ou por seus intermediários. A possibilidade de uma coligação, a princípio, é afastada.

Durante a entrevista, a ex-ministra do Meio Ambiente defendeu que PT e PSDB se afastem do poder e se reinventem, abrindo espaços para novos partidos. “Esses partidos se perderam envolvidos em casos graves de corrupção. Precisam de férias e não de fagocitar (ingerir) as lideranças políticas que estão surgindo, para que os brasileiros criem um intervalo para que eles possam se reinventar”, disse.

Com informações do Jornal O Globo

Leia a Anterior

1 em cada 4 municípios do país está sob risco de infestação do Aedes aegypti

Leia a Próxima

Propostas de Bolsonaro para sistema penitenciário contraria decisões do Supremo