Pedidos de seguro-desemprego aumentam mais de 70% na primeira quinzena de maio

Compartilhe:

Uma das áreas mais afetadas com a pandemia do coronavírus é o mercado de trabalho. Os pedidos de seguro-desemprego aumentaram 76,2% na primeira quinzena de maio em comparação com o mesmo período de 2019. De acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Economia, foram 504.313 solicitações, milhares da Grande Fortaleza e do Interior do Ceará.

O número representa um aumento de 4,9% na comparação com a segunda quinzena de abril deste ano (480.848). Nesse período, 77,5% dos pedidos foram feitos pela internet. Depois de um decreto no fim de abril ter definido o processamento de seguro-desemprego como serviço essencial, as solicitações presenciais também aumentaram cerca de 58% em relação à segunda quinzena de abril.

De janeiro até o dia 15 de maio, foram 2,841 milhões de pedidos, o que representa um aumento de 9,6% em relação ao mesmo período do ano passado.

Mesmo com a necessidade de isolamento social para conter o avanço da covid-19, a maior parte dos pedidos ainda é feita presencialmente. Segundo a pasta, 46,1% dos pedidos foram feitos pela internet e 53,9% nas agências do governo.

Ceará

O Ceará é o oitavo estado do País e o segundo do Nordeste com a maior quantidade de solicitações. Ao todo, 26.204 trabalhadores realizaram o pedido, um reflexo das demissões causadas pela crise gerada pela Covid-19.

A maior parte dos atendimentos no Estado é realizado sem sair de casa. Mais de 97% das solicitações foram feitas nas plataformas virtuais, com 25.545 pessoas atendidas

Compartilhe:

Leia a Anterior

STF limita MP sobre punição a agentes públicos durante pandemia

Leia a Próxima

Deputados aprovam medidas de proteção a indígenas durante pandemia