PSL fica sem representante na AL: André Fernandes e Delegado Cavalcante acompanharão Bolsonaro em novo partido

Os aliados do presidente Jair Bolsonaro estão mobilizados para ingressar em um partido que será fortalecido para concorrer às eleições de 2020.

A decisão do presidente Jair Bolsonaro em construir um novo rumo partidário terá impacto no PSL do Ceará. A sigla ficará sem representante na Assembleia Legislativa. Os deputados estaduais André Fernandes e Delegado Cavalcante – eleitos em 2018, acompanharão o presidente Jair Bolsonaro que, nesta terça-feira, às 16 horas, em Brasília, anuncia o desligamento do PSL e a filiação a um novo partido.

Os aliados do presidente Jair Bolsonaro estão mobilizados para ingressar em um partido que será fortalecido para concorrer às eleições de 2020. Bolsonaro convidou vários deputados federais para o evento, mas exclui da lista o cearense Heitor Freire, que, hoje, é aliado do presidente da Executiva Nacional do PSL, Luciano Bivar.

Bivar e Bolsonaro travam uma guerra que provocou a divisão do partido. A briga tem origem na administração dos fundos partidário e eleitoral que, entre 2019 e 2022, representam valores que podem chegar a R$ 1 bilhão. O dinheiro do fundo partidário banca as atividades do partido, enquanto, o fundo eleitoral, é distribuído entre os candidatos às eleições de 2020 e 2022.

Leia a Anterior

Casos de miopia crescem com uso de celulares e computadores

Leia a Próxima

Médico e professor universitário Henrique César alerta sobre os riscos do diabetes