Tasso vê PT como trava para frente ampla e sente cheiro de impeachment se Bolsonaro descumprir decisões do STF

Compartilhe:

O senador Tasso Jereissati (PSDB), em entrevista à Revista Época, edição deste final de semana, faz uma leitura sobre o cenário político nacional, lamenta os rumos adotados pelo Governo Federal, critica o discurso do PT que acaba por representar uma trava nas articulações para formação de uma frente ampla, alerta que, com o descumprimento de decisões do STF o presidente Bolsonaro caminhará para o impeachment e, entre tantas frases, expõe uma convicção: ‘’Todos estamos preocupados com o futuro de nossa democracia’’.


Ao falar sobre o quadro político, Tasso afirma, ao se referir ao ex-presidente Lula, que, após sair da prisão, o líder petista adotou um discurso que não ajuda na construção de alianças direcionadas a dar mais estabilidade política ao País.

“O Lula saiu da prisão numa posição muito radical e muito parecida à que o PT tinha nos anos 1980 e 1990. Aquele PT que não admitia alianças, que tinha uma visão sectária. A principal liderança de esquerda agir dessa forma hoje é, sim, um impedimento, ainda que não seja a posição oficial do partido’’, observa o tucano, ao destacar a movimentação e o diálogo de outras correntes políticas e partidárias.


‘’Todo o restante das lideranças está dialogando, como bem mostrou o debate entre FHC, Ciro Gomes e Marina Silva, na Globonews. Eu dialogo com a Marina e o Ciro e temos muitos pontos em comum. No DEM, Tanto o Davi Alcolumbre quanto o Rodrigo Maia e o ACM Neto, presidente do partido, têm uma abertura muito grande. PSD, Podemos, Rede, a mesma coisa, ainda que haja discordâncias no plano da atividade parlamentar. No caso do PSDB, FHC é o nome mais importante, que mais influencia dentro do partido, apesar de estar afastado da vida partidária.’’, comentou Tasso, ao dizer, ainda, que uma manifestação do ex-presidente Lula em direção a uma frente ampla tem um peso muito grande, como o Lula dentro do PT. ‘’O que as pessoas precisam assimilar é que distensões pontuais e individuais sempre vai haver. O importante é que elas não atrapalhem a energia de mobilização da sociedade em defesa da democracia’’, acrescentou.

Quando questionado sobre os rumos do Governo do presidente Jair Bolsonaro, Tasso Jereissati deixa uma leitura como sinal de alerta ao Palácio do Planalto.

‘’Se chegarmos a uma situação dessas em que o Executivo não cumpra uma ordem judicial, do STF. Eu acho que é o único momento em que a hipótese do impeachment vai reunir todas as forças no curto prazo’’.

A íntegra da entrevista você pode acompanhar aqui.


(*)com informações da assessoria de imprensa do gabinete do senador Tasso Jereissati

Compartilhe:

Leia a Anterior

INSS oferece cursos gratuitos sobre benefícios previdenciários

Leia a Próxima

Banco do Nordeste incrementa em 15,2% contratações com MPEs