Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O uso de ferramentas criadas a partir do avanço da internet tem sido sinônimo de comodidade para a população, que hoje já não precisa sair do conforto de sua casa para efetuar transações bancárias. Cientes das vulnerabilidades existentes no ambiente virtual, criminosos se aproveitam de algumas vítimas para aplicar golpes.

Entre os malwares, está o denominado “Bolware”, que consiste em um vírus, instalado no computador da vítima, que atua na modificação das informações existentes no boleto bancário, como por exemplo, os dados de pagamento. Ou seja, quando a vítima gera o documento em um computador infectado, o vírus altera a linha digitável (código de barras) e o valor pago pela vítima é direcionado para conta de terceiros e não para o verdadeiro beneficiário. Outro malware, que permite o acesso de criminosos às transações bancárias da vítima, é o conhecido por “Rat” (Remote Acess Trojan). O vírus assume o controle do computador, após a vítima clicar em anexos enviados por e-mail, links, programas ou aplicativos suspeitos.

Para evitar cair nessas fraudes, o usuário deve sempre manter o antivírus e sistema operacional de seus dispositivos eletrônicos atualizados; evitar abrir links suspeitos e anexos em e-mails desconhecidos; sempre observar todas as informações do boleto bancário.

 

 

 

 

 

(*)com informação do Governo do Estado do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp