Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Informações da Polícia Civil e da Divisão Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) dão conta de que o suspeito de matar a menina Débora Lohany possui uma extensa ficha criminal. Ele foi identificado como Walderir Batista dos Santos, 39 anos, natural de Belém do Pará, mas mora em Fortaleza há 20 anos. Ele não tem um dos braços, como apontam as descrições de testemunhas que viram a criança ser levada.

Walderir foi preso em sua cidade natal e foi levado para a policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde foi ouvido por policiais civis com a participação do Secretaria de Segurança Pública do Estado, André Costa  e deve permanecer na delegacia à disposição por toda a sexta-feira (14).

Na ficha criminal de Walderir ele já é investigado por dois homicídios, duas lesões corporais, diversos assaltos, ameaças e até ocultação de cadáver. O suspeito não tem um dos braços, como apontam as descrições de testemunhas que viram a criança ser levada.

Como aconteceu

Débora sumiu no último dia 27 de março, enquanto brincava com outras crianças na avenida Raul Barbosa, em Fortaleza. De acordo com o relato de testemunhas, a menina foi levada por um homem sem um dos braços para um matagal e desde então, não foi mais vista. Buscas foram realizadas pelas forças de Segurança e populares, mas nada foi encontrado.

Um retrato falado foi feito com ajuda de Daniele. De acordo com o relato da mãe, o suspeito sempre passava na rua pedindo dinheiro e comida. No mesmo dia em que a criança sumiu, o suspeito foi visto tentando beijar outra criança.

Na última semana, o corpo da criança foi encontrado em meio ao lixo, no cruzamento entre a avenida Pontes Vieira com Via Expressa, em Fortaleza. Na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Daniele de Oliveira reconheceu os pertences da filha. O laudo da perícia médica aponta que a causa morte foi, possivelmente, traumatismo craniano. O resultado do exame veio com base nas evidências encontradas nos ossos da menina. Ainda conforme o laudo, Débora morreu no entre os dias 27 a 29 de março

Em nota, a SSPDS comentou sobre o caso: “A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que a Polícia Civil deteve mais um suspeito do homicídio da menina Débora Lohany de Oliveira, que havia desaparecido dia 27 de março e foi encontrada morta no último dia 07 de abril. O homem está sendo ouvido na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), nesta quinta-feira (13).  Material genético do suspeito será colhido para que possa ser feita comparação com algum DNA que venha a ser encontrado nos objetos que estavam junto ao corpo da criança. Mais detalhes serão repassados no momento oportuno para não comprometer os trabalhos policiais”.

Fonte – CNEWS

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp