Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Suspeito identificado como Cícero Frazão, confessou ter assassinado com cerca de 15 facadas a travesti Ketlin, em Juazeiro do Norte na madrugada do último domingo (14) se apresentou à Delegacia Regional de Polícia Civil deste Município na manhã desta quarta-feira (17).
Em depoimento, o servente de pedreiro confessou o crime e se justificou afirmando que agiu em legítima defesa. De acordo com o suspeito, a travesti teria tentado agredi-lo com uma faca. “Ela pegou a faca e disse que ia me matar. Eu tomei a faca e me defendi”, falou Cícero, confessando ainda que estava sobre efeito do álcool e drogas. “Usei cocaína e estava bebendo”, afirmou o suspeito.
Segundo o delegado da divisão de homicídio de Juazeiro do Norte, Giovane Aquino, a hipótese de legitima defesa está descartada. “Era o Cícero quem estava portando a faca. E quem quer se defender, não golpeia por 15 vezes outra pessoa. Não foi legitima defesa, ele está apenas com um arranhão no braço”, falou.
O sargento Geová Souza foi o responsável pela condução de Cícero a sua residência, localizada no bairro Triângulo, até a Delegacia do municipio. De acordo com a policia militar, o suspeito já conhecia a vítima e tinha o costume de frequentar o local em que ocorreu o homicídio, apontado como ponto de prostituição. “Ele nos confessou que já tinha bebido outras vezes com a travesti. Na noite do crime, Cícero disse que estava bebendo e quando passou pelo local, atrás da rodoviária, encontrou Ketlin. Eles teriam discutido e depois Cícero a matou”, afirmou.
Logo após prestar depoimento, o suspeito foi conduzido para exame de corpo de delito na Perícia Forense do Estado do Ceará e, em seguida, liberado. “Não há flagrante, nem mandado de prisão, por isso a liberação do suspeito”, justificando o Delegado.