Categorias
Cidade Destaque3

AMC e Detran implementam novo protocolo para acidentes sem vítima a partir desta segunda-feira

Começa a valer a partir desta segunda-feira (2), um novo protocolo de atendimento a acidentes sem vítima em Fortaleza. A fim de garantir segurança e fluidez às vias, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) orientam que os condutores de veículos envolvidos em colisões com apenas danos materiais retirem-se imediatamente do local.

Após a colisão, os proprietários devem registrar o ocorrido por meio do aplicativo AMC Móvel, exceto no caso em que houver crime de trânsito ou o veículo estiver impossibilidade de sair do local. Ao invés de ficar aguardando a presença dos agentes de trânsito ou da perícia, a indicação é retirar o veículo do local, baixar a plataforma e acessar o menu Bateu (Boletim de Acidente de Trânsito Eletrônico Unificado de Fortaleza).

Os dados lançados pelo aplicativo são analisados por técnicos do órgão que avaliam sua consistência e liberam sua impressão no site (centralamc.com.br) em até cinco dias úteis, podendo ser usado pela seguradora e usado como prova em ações judiciais. Quem desejar registrar o acidente posteriormente deve fazer em um prazo de até 30 dias após a colisão no mesmo endereço eletrônico com a possibilidade também de inclusão de fotos como no aplicativo. Outra forma de registro é procurar a delegacia mais próxima ao local do acidente e registrar um Boletim de Ocorrência.

Passo a passo:

1) Baixe o aplicativo através da Google Play ou App Store;
2) Faça o cadastro;
3) Anexe as imagens necessárias;
4) Desobstrua a via;
5) Preencha as informações necessárias quanto aos dados do veículo, do condutor e breve relato
da ocorrência.

Categorias
Região Metropolitana de Fortaleza

Veículos envolvidos em acidentes sem vítimas devem ser retirados da via em Fortaleza

A partir da próxima segunda-feira (2), os motoristas que se envolverem em acidentes de trânsito sem vítimas em Fortaleza devem retiraros veículos da via imediatamente, conforme novo protocolo acordado entre Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) e Departamento Estadual de Trânsito (Detran). A medida visa garantir o fluxo normal do trânsito, segundo os órgãos.

Apenas em casos de crime de trânsito, quando houver vítima do acidente, é que os veículos devem permanecer no local aguardando perícia. Ou quando o automóvel estiver impossibilitado de sair.

Com a nova medida, os registros de acidentes sem vítima devem ser feitos por meio do aplicativo AMC Móvel, em uso desde janeiro do ano passado. Os motoristas têm até 30 dias para registrar o caso, podendo incluir fotos da colisão. Caso não queiram utilizar a plataforma, os condutores têm ainda a possibilidade de registrar os casos em uma delegacia próximo ao local do acidente.

Com os dados lançados no aplicativo, técnicos vão fazer uma avaliação e, em cinco dias úteis, o registro deve ser liberado para impressão no site da AMC.

Pelo aplicativo AMC Móvel, o usuário pode consultar dados de investimentos no trânsito, recorrer de uma multa, verificar se o veículo foi rebocado ou denunciar veículos abandonados, por exemplo.

Segundo o Detran, os peritos do órgão vão atuar em atividades internas, e de forma consultiva.

 

Categorias
Geral Destaque1 Destaque3

Multas poderão ser pagas com cartão de crédito, mas AMC não divulga previsão de início

A AMC e o Detran-CE irão receber pagamento de multas de trânsito com cartão de crédito e débito, de acordo resolução publicada em 2017, pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

A nova possibilidade de efetuar o pagamento já havia sido anunciada no ano passado. Estimava-se que em 2018 já houvesse o funcionamento desse sistema, mas nenhuma empresa foi cadastrada.

Agora, segundo com o Diário Oficial do Município, três empresas facilitadoras de pagamentos estão autorizadas pela Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) a receber esses pagamentos: Datalink, Zignet e Vamos Parcelar.

No entanto, a AMC não divulgou quando essa nova comodidade autorizada pelo Conselho Nacional do Trânsito (Contran) desde 2017 começará a valer.

Quando estiver vigente, o valor poderá ser parcelado, segundo as regras de cada operadora financeira do cartão. Antes, somente multas aplicadas em veículos registrados no exterior poderiam ser arrecadadas com cartões de débito ou crédito.