Categorias
Interior

Centec oferece análise do leite a baixo custo para pequenos produtores do Sertão Central

Com o objetivo analisar a qualidade da produção leiteira do Sertão Central cearense, a Faculdade de Tecnologia Centec (Fatec) de Quixeramobim possui, desde dezembro de 2018, um laboratório para análise da qualidade do leite que oferece os serviços a baixo custo para os pequenos produtores da região.

Antes, as amostras precisam ser enviadas para uma empresa realizar o serviço fora do Estado. Agora, por meio das análises laboratoriais – como dos índices de gordura, proteínas, lactose, contagem de células somáticas, dentre outros – os produtores poderão adequar a alimentação dos animais com maior agilidade.

O equipamento conta com a parceria da Fundação Núcleo de Tecnologia Industrial do Ceará (Nutec) e realiza as seguintes análises: CCS/CPP (CBT), composição e fraudes. Os interessados podem entregar as amostras de leite cru nos seguintes dias e horários: segunda a quarta: 8h às 11h e 13h às 17; quinta-feira: 8h às 11h.

A Fatec Sertão Central já realizou uma capacitação para orientar os produtores a realizar corretamente a coleta de amostras do produto para garantir resultados seguros. Em caso de dúvidas, entre em contato com a faculdade do Centec. A tabela de preços para pequenos produtores está disponível aqui. Os valores do serviço para grandes empresas são disponibilizados sob consulta.

Laboratório de análise da qualidade do leite do Sertão Central (LAQLeite).

Categorias
Carlos Alberto Alencar Cidade Destaque2

Falência da “Monsenhor Tabosa”, um esqueleto carregado pelo prefeito Roberto Cláudio, alerta Carlos Alberto Alencar

O fechamento de quase 80% das lojas na Avenida Monsenhor Tabosa – um dos mais tradicionais corredores comerciais da Capital, é um esqueleto a ser carregado pelo prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), ao término dos seus oito anos de mandatos.

A avaliação é feita pelo jornalista Carlos Alberto Alencar que, em seu comentário no Jornal Alerta Geral (FM 104.3 – Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior + Facebook, Instagram e YouTube), definiu a “Monsenhor Tabosa” como um cemitério de lojas fechadas e centenas de empregos sepultados.

Carlos considera que, embora muitos estabelecimentos tenham sido fechados por conta da crise econômica, a prefeitura de Fortaleza, nos seis anos de ciclo de poder sob o comando de Roberto Cláudio, nada fez para revitalizar a Avenida, enquanto, segundo o analista de economia, milhões de reais serão gastos para alargar uma faixa da Avenida Beira Mar.

Acompanhe a análise completa:

Categorias
Política Destaque1 Destaque3

Para Beto Almeida, “Guedes acabou fazendo um papel que não é dele”

Depois de faltar à audiência pública na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados, o ministro da Economia, Paulo Guedes, participou, nessa quarta-feira (28), de um debate na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado. A sessão começou com clima tenso.

No Bate Papo Político desta quinta-feira (28), os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida comentaram a ida de Guedes à Comissão. Segundo os jornalistas, o ato de Guedes assumir o papel de mediador político é sintomático. Para Beto Almeida, o papel de mediar o debate com os parlamentares seria do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o que não está acontecendo.

Os jornalistas destacaram, também, as dificuldades de se articular a aprovação da Reforma. Luzenor de Oliveira destacou que o ato de “escalar ministros” demonstra a falta de envolvimento do próprio presidente com a proposta a ser votada. Os jornalistas apontam que é preocupante, diante do debate sobre a Reforma, o presidente “perder tempo com polêmicas.

Clima tenso na reunião

Pouco antes do fim da sessão, Guedes baixou a guarda e mudou a postura, afirmando que não é o superministro. O ministro também se desculpou pelo clima tenso. “Quero pedir desculpas se fiquei irritadinho em alguns momentos, porque estou muito cansado. Andei levando ‘balaços’ de quem devia estar do meu lado“, finalizou.

Guedes admitiu, também, que ficou surpreso com a votação da Proposta de Emenda à Constituição que obriga a execução de emendas impositivas no Orçamento. A proposta foi aprovada na Câmara dos Deputados e veda o governo – votação que mostra como o cabo de guerra entre o Executivo e o Legislativo está armado.

Deixar o cargo

Em princípio, Guedes deveria falar sobre os problemas da Lei Kandir nos estados. Guedes reforçou a necessidade de um pacto federativo, após a aprovação da PEC da Previdência. Segundo ele, os técnicos preparam uma proposta com socorro aos estados que poderá superar R$ 4 bilhões ao ano – superior ao valor atual.

Ao ser questionado pela senadora Eliziane Gama (PPS-MA) se deixaria o cargo, caso não consiga aprovar a reforma, Guedes voltou a defender mais responsabilidade do Legislativo com a austeridade fiscal. Não tenho apego ao cargo, mas não tenho a irresponsabilidade de sair na primeira derrota“, afirmou o ministro.

Guedes admitiu a possibilidade de mexer em alguns pontos críticos da proposta, como Benefício de Prestação Continuada (BPC) e aposentadoria rural, mas alertou: a economia de R$ 600 bilhões a R$ 700 bilhões em 10 anos, em vez do atual R$ 1 trilhão previsto na proposta, não dá garantia da aposentadoria de filhos e netos.

Categorias
Geral

Bate Papo: Guedes vai à Câmara tentar resolver impasse entre os Poderes

O ministro da Economia Paulo Guedes é o principal personagem dessa semana. O recado foi claro – Bate Papo Político desta terça-feira (26)

Os deputados começam a discutir, na tarde desta terça-feira (26), a proposta de emenda à Constituição da reforma da Previdência (PEC 6/19), com a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara por onde passa a primeira fase de tramitação do texto. Os parlamentares querem que o ministro esclareça pontos da medida.

A ida de Guedes à Câmara ganhou destaque no Bate Papo Político desta terça-feira, entre os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida, que falaram da importância de haver diálogo entre os Poderes. Para Luzenor, se os dois pontos mais polêmicos da Reforma forem excluídos (BPC e Aposentadoria Rural), a chance do texto passar é muito grande. Beto acredita que a falta de habilidade política do presidente agrava a crise.

Os jornalistas criticaram, ainda, a postura dos deputados federais cearenses. Para Luzenor, os parlamentares precisam assumir seus posicionamentos, defendendo o que é positivo para o trabalhador. Já para o jornalista Beto Almeida, a responsabilidade é do governo federal. Segundo ele, Bolsonaro não consegue unanimidade “nem no PSL (seu partido)” e está querendo “terceirizar a responsabilidade”.

Impasse entre Executivo e Legislativo

A semana passada foi marcada pelo impasse nas articulações políticas entre Poder Executivo e Câmara dos Deputados. Desta forma, o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), decidiu adiar a indicação do relator até que o cenário político esteja mais favorável para a aprovação da reforma no âmbito da comissão.

A previsão é que o nome seja indicado até esta quinta-feira (28). O líder do PSL na Câmara. Delegado Waldir (GO), afirmou que Francischini (PSL-PR) está ouvindo partidos e governo para escolher o relator.

Além de Guedes, parlamentares devem ouvir seis constitucionalistas na CCJ da Câmara para tratar da reforma, na quinta-feira (28). Dois nomes serão indicados pelas lideranças da base do governo, outros dois nomes por lideranças da oposição, e os últimos dois por deputados ditos independentes.

Categorias
Carlos Alberto Alencar Economia Destaque2 Destaque3

Análise: desenvolvimento econômico deve frustar os mais otimistas

Segundo o comentarista de Economia do Jornal Alerta Geral, Carlos Alberto Alencar, o desempenho esperado para a economia neste ano deve frustrar as expectativas mais otimistas. Se no fim de 2018 parte das projeções indicava um crescimento de 3% em 2019, por ora, depois dos últimos indicadores divulgados, está se consolidando a avaliação entre os analistas de que o Produto Interno Bruto (PIB) do país deve avançar apenas 2%.

A safra dos números do fim de 2018 revelou uma perda de ritmo da economia e um desempenho mais fraco da atividade do que o esperado. Essa decepção ocorreu em todos os setores: no varejo, nos serviços e, sobretudo, na indústria. O resultado do mercado de trabalho também foi considerado fraco. No ano passado, a taxa média de desocupação foi de 12,3%, pouco inferior aos 12,7% de 2017.

O comentarista de Economia do Jornal Alerta (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior), Carlos Alberto Alencar, faz a análise completa do tema!

Categorias
Luzenor de Oliveira Destaque1 Destaque3

PP frustra planos de Acilon de construir, com o PR, a 2ª maior bancada na AL

O Palácio da Abolição identificou as articulações do prefeito do Eusébio, Acilon Gonçalves, para construir uma base partidária de olho na disputa ao Governo do Estado ou Senado Federal em 2022. Acilon vinha na tentativa de montar a segunda maior bancada partidária da Assembleia Legislativa, mas, com isso, os planos do prefeito, que controla o PR, começam a ser frustrados.

O apóstolo Luiz Henrique, do Patriota, não seguirá os caminhos de Acilon e decidiu aceitar o convite para se filiar ao PP, e assumir a liderança do partido na Assembleia Legislativa. As articulações para essa mudança de rumo passaram pelo Palácio da Abolição, que não viu com bons olhos a estratégia traçada pelo prefeito do Eusébio.

Acilon assumiu o controle do PR e estava levando para a sigla os três deputados estaduais eleitos pelo Patriota – além de Luiz Henrique, Nizo Costa e Bruno Gonçalves. Com essa movimentação, o PR, que elegeu a deputada estadual Dra. Silvana, ficaria com quatro integrantes –  segunda maior bancada no Legislativo. Essa posição ficará com o PP. A maior bancada será a do PDT, com 14 deputados estaduais.

Sob o comando do deputado federal diplomando Antonio Albuquerque, filho do deputado estadual reeleito Zezinho Albuquerque, o PP começa a nova legislatura, a partir do dia primeiro de fevereiro, com cinco deputados estaduais – Fernando Hugo, Bruno Pedrosa e Leonardo Pinheiro (reeleitos), Luiz Henrique, que sai do Patriota, e o médico Lucilvio Girão, que assume a vaga com a ida de Zezinho Albuquerque (PDT) para a Secretaria de Cidades do Estado. Lucílvio é o primeiro suplente da coligação que tem PP e PDT.

Estamos aguardando o sexto deputado, que espera a janela partidária para receber o abrigo do PP“, disse, na manhã desta quinta-feira, o deputado estadual reeleito Fernando Hugo, ao conversar com a reportagem do Ceará Agora. O sexto deputado é Nelinho de Freitas, eleito pelo PSDB, e filho do ex-prefeito de Russas, Raimundinho Cordeiro de Freitas.