Categorias
Bate-Papo político Destaque3

No Alerta Geral, Nilson Diniz revela otimismo para aprovação da PEC que garante recursos para os municípios do Ceará

Adiada para a próxima semana, a votação no plenário do Senado da PEC da cessão onerosa é aguardada com ansiedade pelos prefeitos dos 184 municípios do Ceará. O texto que será votado é o relatório de Cid Gomes, aprovado na manhã de ontem (28) pela CCJ.

Na edição desta quinta-feira (29) do Jornal Alerta Geral, os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida conversaram com o presidente da APRECE (Associação dos Municípios do Estado do Ceará), Nilson Diniz, sobre as expectativas com o andamento da proposta.

A matéria, que destina a estados e municípios parte do que será arrecadado pela União com o bônus de assinatura do leilão do pré-sal, está sendo acompanhada de perto por Nilson Diniz, que ao ser questionado pelo jornalista Luzenor de Oliveira sobre seu sentimento quanto à proposta revelou estar otimista.

“Estamos otimistas, nós tivemos a unanimidade de todos os senadores e isso me deixou muito otimista em relação ao andamento da proposta no plenário, colocando esse recurso para que possa ser usado como fundo de previdência e investimento para os municípios”, declarou Diniz.

Ele ainda afirmou que o sentimento de confiança vêm do ambiente de sintonia presenciado por ele na Câmara e depois na CCJ do Senado. Segundo o ex-prefeito de Cedro, a votação no plenário deve ter a mesma sintonia, porém, ele também pontuou que a proposta deve retornar à Câmara Federal após uma mudança feita pelos senadores que incluíram um critério de distribuição dos recursos do FPS.

Sobre o andamento da proposta, o relator, senador cearense Cid Gomes (PDT-CE) detalhou o texto em entrevista nessa quarta-feira (28) ao Jornal Alerta Geral e mostrou entusiasmo com a liberação dos recursos. Confira a entrevista logo abaixo em áudio e vídeo:

+ Cid destaca, no Jornal Alerta Geral, bônus do petróleo para estados e municípios

Ainda na entrevista, o presidente da APRECE Nilson Diniz foi indagado sobre os recursos que garantem o recebimento do 13° salário por parte dos servidores públicos do municípios em 2019.

Segundo ele, isto já é uma luta que vem desde a marcha de Brasília e que deve ser atendida diante da proposta em tramitação. Diniz acredita que existe uma consonância nacional em relação ao tema e por isso deve ter uma votação fácil na próxima semana no plenário do Senado.

A expectativa é de que a União arrecade R$ 106 bilhões de reais com esse bônus de assinatura. Dessa quantia, o governo terá de pagar R$ 36 bilhões para a Petrobras relativos ao contrato da cessão onerosa sobre o petróleo excedente do pré-sal.

Restarão cerca de R$ 70 bilhões e desse valor 15% serão destinados aos municípios e 15% aos estados e Distrito Federal. Por fim, Nilson Diniz disse que as próximas ações agora são de planejamento e expectativa para a liberação de recursos que é aguardada a partir de novembro.

Confira abaixo, em áudio e vídeo, a entrevista de Nilson Diniz para o Jornal Alerta Geral desta quinta-feira (29).

Categorias
Educação

Em parceria com a Seduc, Aprece realiza seminário sobre as conquistas e desafios da Educação no Ceará

Com o intuito de debater aspectos técnicos e políticos da área educacional, apresentando um levantamento dos pontos críticos do atual modelo de financiamento da Educação no país, e seus impactos nos municípios cearenses, a Aprece realiza, na próxima segunda-feira (26), o “Seminário Conquistas e Desafios da Educação no Ceará”.

O evento gratuito, promovido em parceria com a Secretaria de Educação do Estado (Seduc) – órgão vinculado ao Governo do Estado – abordará sobre os grandes desafios que as gestões municipais tem enfrentado no cenário nacional: o Novo Fundeb; o cumprimento dos limites prudenciais da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF); os ajustes do Piso do Magistério; os percentuais de contribuição por parte da União na Complementação ao Fundeb, entre outros temas.

O seminário é direcionado a prefeitos e prefeitas, secretários municipais de Educação, vereadores, técnicos da área e demais interessados. Na ocasião serão apresentadas as Conquistas da Educação no Ceará, que vem logrando êxito através do Regime de Colaboração entre Estado e Municípios durante as ultimas décadas, modelo que é exemplo para o País.

Serviço

Seminário Conquistas e Desafios da Educação no Ceará

Data: 26/08/2019

Hora: a partir das 8h30

Local: Auditório Murilo Aguiar, da Assembleia Legislativa do Ceará (Av. Des. Moreira, 2807 – Dionísio Torres, Fortaleza).

Informações: (85) 4006.4022

 

*(Com informações da APRECE)

Categorias
Luzenor de Oliveira Destaque1

Situação crítica: com aumento de despesas, 13º salário assusta maioria dos prefeitos

O quadro financeiro atual é preocupante, mas pode piorar na maioria das cidades do Ceará com as despesas de dezembro, que tem o pagamento do 13º salário dos servidores municipais. Entre as 184 cidades cearenses, menos de 10 – entre elas, Fortaleza, Caucaia e Canindé, anteciparam a primeira parcela do 13º salário.

A situação crítica que os Municípios do Ceará se estende, pelos cálculos da Aprece, a boa parte dos mais de 5.550 municípios brasileiros. A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) se prepara para, em agosto, realizar nova mobilização e cobrar mais sensibilidade do Governo Federal com as administrações municipais.

A queda na transferência de recursos da União, a redução de receitas e, ao mesmo tempo, o aumento de despesas deixam inquietação entre gestores dos Municípios.  A crise nos cofres das Prefeituras é real e levou, nessa quinta-feira (18), os dirigentes da Associação dos Prefeitos do Ceará (Aprece), a uma reunião de emergência com o presidente da Assembleia Legislativa, José Sarto (PDT).

O encontro teve por objetivo a abertura de uma discussão sobre a busca de um entendimento com o Tribunal de Contas do Estado (TCE)  para serem evitadas penalidades aos gestores que descumprirem a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) com a folha de salários dos servidores. Dos 184 municípios do Ceará, segundo a Aprece, 120 estouraram o limite de gastos com pessoal. A Lei de Responsabilidade Fiscal impõe o teto de 54% da Receita Corrente Líquida para o gasto com salários e gratificações.

A conta mais salgada – com as maiores despesas, está nas áreas de saúde e educação. Houve queda, segundo os prefeitos, no volume de transferências federais do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), para pagamento dos professores e investimentos em Educação, e do programa Saúde da Família (PSF), para o custeio do salário dos médicos e a manutenção das unidades de saúde.

O presidente da Aprece, Nilson Diniz , que essa dura realidade é enfrenta não apenas pelos municípios do Ceará. Sensível aos apelos dos gestores municipais, o presidente da Assembleia, José Sarto (PDT), ouviu os relatos dos representantes da Aprece e assumiu o compromisso de abrir um diálogo com os conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Os gestores municipais querem um entendimento que passa, também, pela redução de despesas

Categorias
Política Política Estadual

Gestores debatem com Governador em exercício, soluções para problemática de despesa de pessoal dos municípios cearenses

Com o intuito de discutir sobre situações relacionadas com a problemática de despesa de pessoal dos municípios cearenses, e especificamente com relação à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o presidente da Aprece, Nilson Diniz, acompanhado de alguns prefeitos e prefeitas, se reuniu com deputados estaduais e com o governador em exercício do Ceará, deputado José Sarto, na tarde desta terça-feira, 16 de julho, na sede do Governo do Estado.

Encabeçado pela Aprece, o encontro serviu para que os deputados presentes pudessem compreender, através de convencimento técnico, que a situação municipal é muito mais do que uma decisão de gestão individualizada, e que os municípios cearenses  estão em uma condição problemática devido às receitas e despesas de legislações federais que foram elaboradas há mais de 10 anos, acarretando o aumento de pessoal, e com isso, o gestor público encontra, em sua atuação, o desafio de lidar com a verba governamental destinada a esse fim.

Na oportunidade foram discutidos e estudados, mecanismos que não fossem contraditórios à LRF; temporários;  utilizados no ano de 2019; e que pudessem flexibilizar algumas situações mediante o cumprimento de exigências por parte do órgão de controle estadual. Foram citados os casos dos estados da Bahia e Sergipe, que já se utilizam de alguns mecanismos para driblar as dificuldades das contas de gestão.

Na ocasião, foi formado um grupo técnico/político, fechado, composto por representantes do setor jurídico da Assembleia Legislativa do Estado; jurídico da Aprece; alguns prefeitos e deputados. De posse dos  termos legais, o grupo irá se reunir nesta quinta-feira, 18, às 10 horas, na sede da presidência da Assembleia Legislativa do Ceará, para dar continuidade ao estudo estratégico e discutir qual o modelo ideal para se chegar ao órgão fiscalizador.

Categorias
Educação Destaque3

Secretarias Municipais de Educação têm até quinta para apresentar frequência escolar dos beneficiários do Bolsa Família

De acordo com a legislação, o benefício do Programa Bolsa Família está condicionado à presença mínima mensal de 85% nas aulas escolares, para alunos de 6 a 15 anos, e de 75%, para jovens entre 16 e 17 anos. O Ceará tem, pelo menos, 1.040.000 famílias no Bolsa Família. Quanto mais pobre o Município, maior o número de beneficiário do programa social.

A coordenadora geral de Acompanhamento da Inclusão Escolar da Secretaria de Modalidades Especializadas de Educação (Semesp) do Ministério da Educação, Simone Medeiros, alerta para o prazo. “Pedimos que os registros sejam feitos ao longo do período para que o sistema não fique sobrecarregado na última hora, e gere dificuldades”, observa.

De acordo com a coordenadora, o acompanhamento é feito cinco vezes ao ano. No primeiro período de 2019, de fevereiro a março, o percentual de cumprimento de frequência do público acompanhado foi de 95,16%. “Esse levantamento é uma importante referência para a formulação de políticas públicas de fomento à permanência e à progressão escolar”, destaca Simone.

Segundo a coordenadora, a partir desse levantamento, também são identificados os motivos que levaram à baixa frequência escolar dos alunos.

Essas informações, conforme enfatizou, são ferramenta fundamental para o governo criar ações de combate ao abandono e à evasão. Os dados são mantidos no Sistema Presença do MEC, que permite a identificação dos estudantes, o monitoramento de sua frequência escolar e, a partir desses dados e informações, o recebimento do benefício do Programa Bolsa Família.

(*) Informações da Assessoria de Imprensa da Aprece e do Ministério da Educação.

Categorias
Política Política Estadual Destaque1

Bato-Papo político: Beto Almeida comenta situação de municípios que não possuem regime próprio de Previdência

A Associação dos Prefeitos do Ceará (APRECE), reuniu na última sexta-feira (07) cententas de gestores municipais, vereadores, vice-prefeitos e demais lideranças no auditório da Federação das Indústrias do Ceará (FIEC). O evento foi destaque na dicussão do Bate-Papo político do Jornal Alerta Geral (Expresso FM 104.3 + 26 emissoras no interior + Redes Sociais). Em tramitação, a Reforma da Previdência possui influência direta na economia dos municípios.

O presidente Nilson Diniz apontou a necessidade de se refletir sobre o impacto da reforma na gestão econômica e administrativa dos municípios, tendo em vista as cidades que possuem seus próprios regimes de previdência social e precisam estar incluídas no projeto que atualmente encontra-se em tramitação na comissão especial do Congresso Nacional. O jornalista Beto Almeida comentou a situação desses municípios:

Os municípios que não tem regime próprio, os institutos de previdência, eles vão ter que se adequar a nova legislação lá no congresso nacional, que é da reforma da previdência, já que os municípios que tenham o seu instituto próprio, se não for incluído dentro dessa reforma, eles vão ter que fazer uma discussão à paerte, mandar projeto para as câmaras municipais, ver como é que vai ser feito toda aquela tramitação, isso vai gerar confronto jurídico e vai parar no Supremo Tribunal Federal.

Confira o trecho da análise do jornalista Beto Almeida clicando no vídeo abaixo:

Sobre a economia dos municípios, os gestores estão satisfeitos diante do projeto de emenda à constituição (PEC 34/2019), aprovado na Câmara Federal, que torna obrigatória a execução das emendas individuais de parlamentares que garante masi recursos aos estados e municípios.

A reunião

O encontro entre lideranças ocorreu no auditório da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) e teve como intuito debater com a Bancada Federal do Ceará sobre as principais demandas das gestões municipais e dos municípios. Cinco deputados federais cearenses comparecera ao evento, promovido pela Aprece, em parceria com a União dos Vereadores do Ceará (UVC), Associação dos Vice-Prefeitos do Ceará (Aviprece) e Confederação Nacional de Municípios (CNM). Foram eles: Antônio José Albuquerque (PP), Eduardo Bismark (PDT), José Airton Cirilo(PT), Leônidas Cristino (PDT) e Robério Monteiro (PDT). Também compareceu o deputado estadual Audic Mota (PSB).

Os gestores presentes avaliaram com otimismo o encontro, que conseguiu demonstrar a união e a grandeza do municipalismo cearense. De acordo com o presidente da Aprece, Nilson Diniz, a mobilização e a luta devem ser constantes, bem como a cobrança de cada prefeito, vereador e demais agentes junto a seus deputados em prol da aprovação de pautas que atendam às necessidades essenciais das gestões municipais.

Foto: Reprodução.

A reunião contou com a participação do deputado federal de Mato Grosso Valtenir Pereira (MDB), relator da Proposta de Emenda à Constituição 56/2019, que prevê a unificação do pleito para todos os cargos eletivos no Brasil, atualmente em tramitação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC), na Câmara dos Deputados. Esse foi um dos temas centrais do encontro, que abordou ainda pautas como cessão onerosa do pré-sal; o compromisso do Governo Federal de distribuição com estados e municípios de R$ 10 bilhões do Fundo Social e o aumento de 1% sobre o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) em setembro.

O deputado Valtenir Pereira defendeu, durante sua palestra, que os gastos com a realização de duas eleições a cada quatro anos (eleições bi-anuais) são altamente dispendiosos para o contribuinte. Segundo ele, a realização de apenas uma eleição a cada quatro anos, preconizada pela proposta de unificação, representará uma economia de R$ 3 bilhões caso a proposta de unificação seja aprovada já para 2022.

“Tenho boas expectativas para a aprovação da matéria no Colegiado da Comissão de Justiça. Será uma economia que poderá ser aplicada na Saúde, na Educação, no Saneamento Básico, na Segurança Pública. Nos próximos dez anos, serão mais de R$ 10 bilhões de economia”, afirmou o deputado.

Em sua fala, o coordenador adjunto da bancada federal cearense, deputado Eduardo Bismark elencou as vitórias municipalistas conquistadas na Câmara Federal nesta semana, como a PEC 34/2019 que torna obrigatória a execução das emendas de bancada, garantindo mais recursos para os estados e municípios e do andamento da PEC 48, que retira a Caixa econômica como agente de repasse de recursos.

A prefeita de Catunda, Ravena Fernandes, falou sobre a importância da Cessão Onerosa do Pre-Sal para os municípios. Já o prefeito de Chorozinho, Francisco de Castro Júnior, solicitou dos representantes da bancada federal apoio na cobrança do compromisso do Governo Federal de distribuição com Estados e Municípios de R$ 10 bilhões do Fundo Social.

Foto: Reprodução.

O prefeito de Baturité, Assis Arruda, e a vereadora Lívia Maia, presidente da UVC Mulher; abordaram em suas colocações o impacto do aumento de 1% sobre o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) em setembro. As dificuldades enfrentadas pelos municípios pelo pagamento de altos valores com foi tema da fala do prefeito de Várzea Alegre, José Helder Carvalho. Já o prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola alertou os deputados presentes sobre os graves problemas gerados pela privatizações, tendo como mote o marco regulatório do Saneamento.

As pautas apresentadas foram recebidas positivamente pelos deputados federais presentes que, intitulando-se municipalistas, garantiram apoio às demandas dos gestores municipais. Ao final do evento, o presidente da Aprece, Nilson Diniz, ladeado pelo presidente da UVC, Guto Mota, conclamou a todos para iniciarem um acompanhamento e uma cobrança junto aos deputados que não compareceram ao evento para que as pautas municipalistas sejam tratadas com prioridade e comprometimento.

Categorias
Ceará Destaque3

Governador Camilo Santana diz que a suspensão de concursos deve ser reavaliada no segundo semestre

O governador Camilo Santana afirmou que a suspensão temporária de novos concursos, chamadas e homologações de servidores, anunciada na semana passada, deve voltar a ser analisada a partir do segundo semestre. A declaração foi feita nesta segunda-feira (3), no VII Seminário Prefeitos do Ceará 2019, evento realizado pelo TCE e a Aprece.

Segundo o governador, a decisão de suspender a entrada de novos servidores no quadro da administração estadual se deve ao cenário de incertezas em que vive a economia brasileira, que tem visto as previsões de crescimento decaírem.

Há uma incerteza muito grande na economia brasileira, e isso afeta estados e municípios. Então a gente precisa ter muita responsabilidade e é isso que temos feito. Aguardar como vai ser a economia no segundo semestre para poder tomar as decisões, apontou o governador.

Segundo o governador, a prioridade da gestão é manter um equilíbrio fiscal que garanta serviços de qualidade à população e aumente a arrecadação. Uma nova análise da saúde fiscal do Estado deve ser realizada em setembro, quando a suspensão de novos concursos deve ser reavaliada.

Camilo Santana ainda ressaltou que o Ceará foi o estado que mais aumentou despesa com pessoal no ano passado. De acordo com a gestão estadual, em 2018, a folha de pagamento cresceu 11,60% ante o ano anterior, além de uma elevação de 9,71% entre janeiro e abril de 2019, em relação ao mesmo período de 2018.

A suspensão de concursos públicos faz parte de um pacote de medidas adotadas pelo governo do Estado visando controlar os gastos da máquina pública. Além do veto a novas contratações, não há reajustes salariais programados para este ano. Apenas professores e agentes de saúde deverão ter alguma atualização salarial devido a obrigações legais.

Categorias
Luzenor de Oliveira Política Estadual Destaque1

Aprece mobiliza deputados federais e senadores para discutir recursos para os municípios

Os prefeitos dos 184 municípios do Ceará cobram aos deputados federais e senadores para ouvi-los sobre as demandas por obras e serviços cobrados pelos moradores. Entre as demandas, os prefeitos cobram mais articulação entre deputados da bancada cearense e o Governo Federal.

A grande preocupação entre os gestores municipais é que, passados cinco meses do mandato do presidente Jair Bolsonaro, muitos convênios estão travados, milhões de reais foram contingenciados e as obras, realizadas em parceria com a União, estão em ritmo desacelerado ou mesmo paradas.

A Associação dos Prefeitos do Ceará (Aprece) decidiu se antecipar para expor aos deputados federais e senadores a agenda de projetos que interessam aos municípios. O presidente da Aprece, Nilson Diniz, anunciou uma nova reunião com a bancada do Ceará em Brasília.

Em entrevista ao Jornal Alerta Geral desta sexta-feira (31), Nilson Diniz falou, também, do arrocho nas contas públicas do Ceará e fez referência a reunião entre o governador Camilo Santana e deputados da bancada aliada no início da semana. Acompanhe a entrevista completa:

+ Ministro anuncia que liberação do dinheiro do PIS/Pasep e do FGTS é balão de oxigênio para a economia

Quando

O encontro está programado para o próximo dia 7, a partir das 8 horas da manhã, no auditório da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). Nilson Diniz aponta 4 assuntos principais que entram na pauta do debate:

1) cessão onerosa do petróleo; 2) liberação de R$ 10 bi no primeiro semestre; 3) aumento de 1% do FPM, e 4) prorrogação de mandatos dos atuais prefeitos.

Interlocução

Os prefeitos querem que os deputados federais e senadores os representem na interlocução com o Governo Federal para recursos serem liberados. Além disso, pedem que o Congresso Nacional agilize a votação de projetos que fortaleçam o municipalismo e garantam mais autonomia aos municípios.

Categorias
Política Estadual Destaque3

Para presidente da Aprece, “é preciso transformar as palavras em ações para aliviar as situações financeiras dos municípios”

Na Marcha dos Prefeitos a Brasília em Defesa dos Municípios, a maior distribuição de recursos entre Brasília, estados e municípios, vira o ponto de destaque para agenda política de prefeitos cearenses. O ministro da Economia, Paulo Guedes, resumiu o plano governamental defendendo que “o dinheiro tem que ir onde o povo está” – para os municípios. O economista anunciou um repasse de 20 bilhões de reais, dinheiro que beneficia, também, o Ceará, embora ainda não se saiba o valor exato.

Em entrevista ao Jornal Alerta Geral desta quinta-feira (11), o presidente da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (APRECE), Nilson Diniz, disse que viu como positivo o discurso do ministro da Economia, Paulo Guedes, na última terça-feira (9), onde anunciou a criação de um imposto único federal com a fusão de três a quatro tributos, que beneficia os estados e municípios. O ministro anunciou, também, que governadores e prefeitos receberão a maior parte dos recursos.

Segundo Nilson, talvez, esses repasses não cheguem no primeiro semestre de 2019, mas, é “preciso transformar as palavras em ações” para “aliviar as situações financeiras dos municípios”. Para o presidente da Aprece, os 10 bilhões anunciados pelo ministro para o fundo social, que será redistribuído para os estados, foi um dos principais pontos da Marcha. Além disso, o repasse de até 70% dos recursos que a União arrecadar com o pré-sal aos municípios gera, também, expectativas positivas.

 

Categorias
Política Destaque2 Destaque3

Sem debate, mais de 100 municípios cearenses serão atingidos com queda do Fundeb, alerta Nilson Diniz

Entrevista com o presidente da Aprece, Nilson Diniz, nesta quinta-feira (4)

Os prefeitos do Ceará se mobilizam junto aos deputados federais em direção a Brasília para debater as pautas municipalistas e anunciar os rumos da administração municipal conectados às novas diretrizes federais. O Ceará será representado por mais de 150 participantes. O presidente, Jair Bolsonaro, e seus ministros confirmaram presença no evento.

O presidente da Associação dos Prefeitos do Ceará (Aprece), Nilson Diniz, afirmou que sem o debate esse diálogo que, em sua avaliação, é emergencial, mais de 100 municípios cearenses irão estourar a Lei de Responsabilidade Fiscal, que estabelece o controle dos gastos da União, estados, Distrito Federal e municípios.

O presidente da Aprece participou de entrevista no Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior) desta quinta-feira (4), mediada pelos jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida, onde destacou os pontos a serem discutidos na reunião. Para o prefeito, há, pelo menos, duas pautas principais: uma emergencial e uma estrutural.

Entre os temas debatidos estão o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) – que faz parte da pauta emergencial – e pacto federativo – questão mais estrutural. Na reunião, os representantes esperam definir quais suas atribuições e próximas medidas.

Fundeb

Questionado pelo jornalista, Beto Almeida, sobre a situação dos municípios em relação ao Fundeb, o presidente da Aprece destacou que o orçamento representa uma média de 31% de todos os 174 municípios. Ainda segundo Nilson, 80% do dinheiro fica para o pagamento de professoras, assim, o que sobra não é suficiente para cobrir as demais despesas.

O jornalista Luzenor de Oliveira foi mais além e questionou: com isso, a galinha de ovos de ouro para os professores morreu? Para Nilson, uma das principais motivações para isso é a redistribuição dos horários dos professores (os profissionais têm 30% de sua carga horária destinada a atividades fora da sala de aula), o que, por consequência, aumenta as contratações para suprir a demanda em sala.

O presidente da Aprece destaca, ainda, outro problema. Com a redução no número de estudantes que acessam o serviço público, a verba destinada também é menor. Isso acontece porque o repasse é proporcional ao número de estudantes. Para 2020, Nilson espera uma complementação maior (hoje é 10%), principalmente para as regiões Norte e Nordeste.

Presidente da Aprece, Nilson Diniz, em entrevista ao Jornal Alerta Geral

Março chuvoso

Diante dos últimos eventos ocasionados pela chuva, o jornalista Luzenor de Oliveira perguntou sobre a reunião que Nilson teve com o secretário de Relações Institucionais da Casa Civil, Nelson Martins, e questionou o que foi exposto no encontro.

Segundo o presidente da Aprece, “a preocupação não é só com as estradas estaduais, a dificuldade são as estradas vicinais (dos municípios)“. Nilson afirmou, ainda, que a segurança dos estudantes é a prioridade. O segundo ponto, segundo ele, “é garantir que nenhuma hora de aula seja contemporizada”, ou seja, que as aulas possam ser repostas.

O presidente ponderou, contudo, que “depois de 6 anos de seca, os problemas são relativamente pequenos”. Em sua resposta, relembrou a dificuldade de parte dos cearenses diante dos longos períodos de seca. “É preocupante, mas nós vamos resolver essas questões pontuais“, finalizou Nilson Diniz.

Da esquerda para a direita: Luzenor de Oliveira, Nilson Diniz e Beto Almeida