Categorias
Cotidiano

Fim de outubro deve seguir com predomínio de nebulosidade variável em todo o Ceará

Os últimos dias do mês de outubro deverão ser de predomínio de céu variando entre parcialmente nublado e claro, conforme avaliação das atuais condições de tempo realizada pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) na manhã desta terça-feira (28).

Imagem de satélite mais recente aponta que há poucas nuvens sobre o Ceará e também não há proximidade de sistemas indutores de chuva, o que acarreta em um cenário desfavorável para precipitações. O padrão, que é aquele previsto e observado nos últimos dias, é tradicional para esta época do ano.

Diante de tal cenário, o prognóstico, neste momento, é de nebulosidade variável em todas as regiões até a próxima quinta-feira (31). Apesar de apontar a previsão para os três dias, a Funceme realizará, diariamente, novas análises e, se for necessário, indicará alterações. Para acompanhar, basta acessar o site do órgão ou baixar o aplicativo ‘Funceme Tempo’, disponível para todas as plataformas.

Balanço

Nas últimas 48 horas, o Ceará seguiu com registros de temperaturas elevadas em praticamente todo o estado. De domingo (27) até hoje, o maior pico foi no município de Barro, localizado no Cariri, com 39,6°C, seguido de Parambu e Jaguaribe, ambos com 38,9°C. Já na Capital, o valor extremo destes últimos dois dias foi de 33,9°C.

Conforme havia sido previsto na última sexta, o interior permaneceu com tempo seco devido à baixa umidade relativa do ar. Barbalha, por exemplo, chegou aos 13% nessa segunda-feira (28), o que é considerado nível de alerta segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Para os próximos dias, cenário semelhante a este deve se repetir, ainda conforme a previsão da Funceme.

Categorias
Interior

Ceará tem chuva em cerca de 30 municípios

O Ceará registrou, entre as 7h dessa segunda-feira (23) e as 7h desta terça-feira (24), chuvas em, pelo menos, 27 municípios. A maioria das precipitações aconteceu na macrorregião do Sertão Central e Inhamuns, segundo balanço parcial da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

Os maiores acumulados deste período de 24 horas foram em Pedra Branca (37 mm), Acopiara (37 mm) e Tauá (34 mm). Os dados são preliminares e podem ser acompanhados por meio do ‘Calendário de Chuvas’.

As precipitações pontuais no estado se deram por conta da atuação de áreas de instabilidade atmosférica que se formaram no leste da região Nordeste – sobre o oceano –  e avançaram em direção à porção continental.

Previsão

Em análise das condições de tempo realizada na manhã de hoje pelos meteorologistas da Funceme, observou-se que o sistema que provocou chuvas no Ceará entre esta segunda e a madrugada de hoje já dissipou-se. Neste momento, há poucas nuvens sobre o território cearense, principalmente no interior.

Para hoje e os próximos dois dias, pelo menos, não há tendência de novas precipitações. A previsão é de predomínio de céu entre parcialmente nublado e claro em todas as regiões.

*(Com informações da Funceme)

Categorias
Interior

Açudes em situação de risco começam a ser recuperados no Ceará

Um relatório divulgado pela Agência Nacional de Águas (ANA) apontou que oito açudes do Ceará estão em situação de alto risco.  Com o período de chuvas registrado nos cinco primeiros meses deste anos,  os reservatórios apresentaram problemas estruturais, correndo o risco de romperem e atingirem milhares de pessoas que precisaram evacuar suas casas. Segundo a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) os trabalhos não foram realizados no semestre passado devido à alta incidências das chuvas.

As obras nos reservatórios que apresentam problemas foram reiniciadas neste segundo semestre. Atualmente, está em curso o processo de recuperação nas barragens Cupim, Barra Velha e Colina, na bacia hidrográfica dos Sertões de Crateús; Brôco e Monte Belo, na bacia do Alto Jaguaribe; Cipoada, na bacia do Banabuiú; além dos açudes Tijuquinha e Pacajus, da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O investimento total está orçado em R$ 3,5 milhões.

A previsão é de que as obras sejam concluídas até fevereiro de 2020. Até lá, Rebouças atesta que os açudes onde foi detectada a necessidade dos serviços, estarão em condições adequadas para atravessar a próxima quadra chuvosa.

Categorias
Cidade Destaque2

Litorais de Fortaleza e Pecém têm possibilidade de chuva até este sábado

As chuvas de Pós-Estação deverão seguir banhando os litorais de Fortaleza e do Pecém até este (13), segundo previsão do tempo realizada pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) na manhã desta quinta-feira.

Informações obtidas por meio de imagem de satélite e também da análise de resultados de modelos numéricos de previsão apontam que as precipitações indicadas para esta quinta-feira (11) e o início do fim de semana serão de intensidade fraca a moderada, além de se concentrarem no período da manhã.

O cenário propício a estas chuvas está associado à formação de áreas de instabilidade sobre o Rio Grande do Norte e que avançaram em direção ao norte do Nordeste, ou seja, onde estão localizadas a porção do litoral cearense.

Nas próximas 72 horas, as demais áreas do estado terão apenas céu parcialmente nublado, sem perspectiva de precipitações. Porém, apesar do prognóstico realizado nesta quinta, a Funceme seguirá acompanhando o cenário meteorológico e, se necessário, realizará alterações na previsão do tempo.

(*) Com informações da Funceme.

Categorias
Cotidiano

Decreto aponta que vinte municípios cearenses estão em estado de emergência por conta da seca

Cerca de vinte municípios cearenses estão na lista das regiões em estado de emergência por conta da seca. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado. A medida foi tomada em face de parecer técnico da Defesa Civil do Corpo de Bombeiros.

O Ceará teve a melhor quadra chuvosa dos últimos sete anos, mas ainda assim a irregularidade das chuvas e as elevadas temperaturas nas cidades em questão comprometeram o armazenamento de água e podem causar problemas ao abastecimento.

As cidades afetadas vão receber apoio complementar do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil, sob a coordenação da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, nas ações de resposta à seca.

Confira os municípios em situação de emergência:

  • Aracati
  • Acopiara
  • Araripe
  • Assaré
  • Bela Cruz
  • Barreira
  • Barroquinha
  • Caucaia
  • Cedro
  • Choró
  • Crato
  • Farias Brito
  • Icapuí
  • Jardim
  • Madalena
  • Missão Velha
  • Ocara
  • Quixeramobim
  • Tabuleiro do Norte
  • Tamboril
Categorias
Cidade

Mesmo com fim da quadra chuvosa no Ceará, Crato e Missão Velha registram as maiores chuvas do estado

O início do ano é marcado como período de chuvas no Ceará e mesmo com o fim da quadra chuvosa no estado, pelo menos 61 cidades registraram precipitações intensas segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos, a Funceme.

De acordo com os dados, entre segunda e terça-feira, Missão Velha, na Região do Cariri, foi a cidade com maior precipitação neste período, com chuva de 75 milímetros. Outra cidade da região que também registrou 75 milímetros foi Crato. Houve registros de chuva também nos municípios de Brejo Santo, Abaiara, Milagres, Mauriti, Barbalha e Juazeiro do Norte.

Com as precipitações, ruas e avenidas ficaram alagadas, como por exemplo a Avenida Leão Sampaio que liga Juazeiro do Norte e Barbalha. O Triângulo Crajubar, que faz a ligação entre os municípios de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha, também ficou comprometido por causa do acúmulo de água.

Segundo a Funceme, essas precipitações que ocorrem na Região do Cariri como também Centro-Sul são decorrentes das áreas de instabilidade provocadas por um Distúrbio Ondulatório de Leste localizado sobre os estados da Paraíba e de Pernambuco.

Categorias
Cidade Destaque3

Chuvas causam desabamento em Fortaleza; capital registra alagamentos e lentidão no trânsito

Muita água! A cidade de Fortaleza amanheceu sob fortes chuvas nesta sexta-feira (14). O temporal, que teve início na noite de ontem e se estendeu durante toda a madrugada, acabou ocasionando o desabamento de um imóvel no cruzamento da rua Santa Inês com a rua Álvaro de Alencar, no bairro Pirambu. De acordo com o Corpo de Bombeiros, não há vítimas.

O incidente ocorreu às 2 horas desta sexta, a residência estava interditada há cerca de três meses pela Defesa Civil e veio ao chão após o asfalto do entorno ceder. Com o desabamento, uma casa próxima também foi interditada e os familiares foram abrigados por vizinhos.

As chuvas também causaram alagamentos e transtornos na cidade. No Aeroporto Internacional Pinto Martins, uma goteira mobilizou os funcionários na hora da limpeza, o túnel da Avenida Borges de Melo pegou mais água e está, de novo, sem acesso.

Aeroporto Pinto Martins (Foto: Reprodução)

Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), o volume das chuvas nas últimas 24 horas atingiu 92 mm de precipitação. Embora a quadra chuvosa tenha chegado ao fim, a grande Fortaleza segue pela terceira noite seguida sob fortes chuvas e a previsão é de que o clima se estenda durante todo o dia. 

Categorias
Cotidiano Destaque1

São Gonçalo do Amarante registra maior chuva em 24h; Fortaleza tem 96,8 mm

Choveu em pelo menos 48 cidades do Ceará entre as 7h de terça-feira (11) e as 7h desta quarta-feira (12), de acordo com dados parciais da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), atualizados às 9h10. Em São Gonçalo do Amarante, Região Metropolitana de Fortaleza, o registro de chuva foi de 114 milímetros.

Além de São Gonçalo do Amarante, as maiores precipitações foram em Fortaleza (96,8 mm), Maracanaú (90,4 mm), Paracuru (90 mm), Pentecoste (82,2 mm).

Em Fortaleza, a chuva abriu cratera no Bairro Meireles, área nobre, alagou um túnel na Avenida Borges de Melo e carros se envolveram em acidentes.

De acordo com a Funceme, a previsão para esta quarta-feira (12) é de eventos de chuva no centro-norte e na Região Sul, nebulosidade variável. Já durante a quinta-feira (13) a previsão é nebulosidade variável com chuva isolada no litoral e no Maciço de Baturité. Na região Jaguaribana, há possibilidade de chuva. Nas demais regiões, nebulosidade variável.

Veja as maiores chuvas por município:

  • São Gonçalo do Amarante : 114.0 mm
  • Fortaleza : 96,8 mm
  • Maracanaú : 90,4 mm
  • Paracuru : 90,0 mm
  • Pentecoste : 82,2 mm
Categorias
Cidade Destaque2

Túnel interditado na Borges de Melo e desvio na Abolição: chuvas banham Grande Fortaleza e geram transtornos

As fortes chuvas em Fortaleza desde a noite dessa terça-feira e madrugada de hoje (12) causaram uma série de transtornos na Capital. No cruzamento da Avenida Abolição com Rua Tibúrcio Cavalcante, no Bairro Meireles, o asfalto de uma obra inacabada chegou a ceder.

A Prefeitura de Fortaleza se descuidou nas medidas preventivas sobre obras nessa área da cidade e, com a correnteza das águas, verdadeiras valas foram abertas. As obras, que fazem parte da requalificação da beira mar, não tem, sequer, placas de sinalização ou de identificação dos responsáveis.

Segundo o portal de notícias G1, técnicos da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) também estiveram no local, mas se retiram em seguida pois, segundo eles, a obra é de responsabilidade da prefeitura.

Tempo nublado

O tempo continua fechado com mais previsão de chuvas. Cidades do Sul do Ceará, Região do Maciço do Baturité, Vale do Jaguaribe e Região da Ibiapaba, também, receberam chuvas e apresentam tempo nublado.

As chuvas também deixam o trânsito bem mais lento em trechos da avenida Raul Barbosa, no Bairro Aerolândia. O trânsito, no trecho próximo às ruas Nunes Valente e Tibúrcio Cavalcante, tem desvio e exige paciência dos motoristas.

O Jornal Alerta Geral desta quarta-feira destacou os transtornos ocasionados pela precipitação. O jornalista Luzenor de Oliveira disse que é impossível trafegar em alguns trechos da Capital.

Túnel alagado

Outro ponto que também sofreu foi o túnel da Avenida Borges de Melo. Condutores não conseguiram transitar pelo local e acabaram mudando o trajeto. Segundo informações de algumas testemunhas, o nível de água subiu muito rápido.

Carros ficam em alagamento no túnel da Avenida Borges de Melo em Fortaleza — Foto: Halisson Ferreira/Sistema Verdes Mares
Reprodução da foto de Halisson Ferreira/Sistema Verdes Mares

Funceme

Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), um sistema indutor de chuvas nas áreas localizadas no centro-norte do Ceará, principalmente sobre a faixa litorânea ocasiona as precipitações. O fenômeno é comum neste período pós-estação chuvosa.

A tendência é de que o Distúrbio Ondulatório de Leste (DOL) leve chuvas a mais de 50% da área centro-norte do Ceará. Já de acordo com o alerta emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão de chuva é de 20 a 30 mm/h ou até 50 mm/dia.

Veja imagens

Categorias
Ceará Destaque2

De acordo com a Cagece, tarifa de contingência será reavaliada quando reservas de água do Estado chegarem a pelo menos 20%

A situação de abastecimento da Região Metropolitana de Fortaleza continua sendo uma preocupação, mesmo após chuvas da quadra chuvosa de 2019. A decisão da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é de manter a cobrança da tarifa de contingência nas contas de água dos cidadãos. De acordo com o presidente da Cagece, Neuri Freitas, o fim da taxa extra só acontecerá quando a capacidade hídrica da região for maior do que a registrada no início da cobrança, em 2015.

Quando a tarifa de contingência foi instituída, o volume total dos reservatórios que abastecem a região era de 19,2%, incluindo os açudes de Pacoti, Pacajus, Riachão, Gavião, Castanhão e Orós. Isso representava 1.788,2 hm³, o que foi considerado menos do que o suficiente para fornecer água para as cidades metropolitanas. Atualmente, o volume dos reservatórios que abastecem a Capital e municípios vizinhos está ainda menor, com 1.111,7 hm³, representando 11,9% da capacidade total. Segundo Neuri, a reavaliação da tarifa só será feita quando a quantidade de água nos açudes for de pelo menos 20% da capacidade total.

Nos últimos cinco anos, o consumo dos clientes da companhia diminuiu em 22,38%. Em 2014, o volume utilizado por ligação a cada mês era de 13,72 m³ no período de janeiro a abril. No mesmo período deste ano, o valor consumido foi de 10,65 m³. O presidente disse que esse número quase atinge o que considerado o mínimo para abastecer uma família. Além disso, a economia da água fica evidente quando analisado o número de pessoas que chegam a pagar a tarifa de contingência. Dos 983 mil clientes, 233.926 pagaram a taxa de janeiro a abril deste ano, o que representa 25% do total.

Com o dinheiro, a Cagece deve investir em obras de segurança hídrica e redução de perdas, conforme Neuri. Ao todo, são R$ 88 milhões advindos da tarifa de contingência que devem ser usados para melhoras no macrosistema de Fortaleza, com o intuito de evitar quebras e vazamentos, obras de substituição de redes e revitalização na estação de tratamento de água de Horizonte.