Categorias
Sem categoria Interior

Suspensão de recursos atrasa obras do Cinturão das Águas

As suspensões orçamentários realizadas pelo governo federal nos últimos meses, com o argumento de equilibrar as contas públicas estão afetando o andamento de obras importantes como o conjunto de canais para distribuir as aguas do rio São Francisco aos munícipios do Ceará. O repasse da verba está atrasado e ameçaa a entrega do projeto em tempo hábil.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Regional, foram repassados ao governo estadual R$ 10,6 milhões para as obras do Cinturão das Águas do Ceará (CAC) no dia 29 de março. De acordo com o secretário de Recursos Hídricos do Ceará (SRH), Francisco Teixeira, não houve suspensão das obras, mas o repasse federal está atrasado.

O chamado “eixo emergencial” do CAC já está pronto para receber as águas do Projeto de Integração do São Francisco (PISF).  Este trecho conduzirá as águas do “Velho Chico” até o Riacho Seco, em Missão Velha. De lá, fluirá pelo Rio Salgado, que deságua no Rio Jaguaribe, seguindo até o Açude Castanhão. 

A água que chegará à Capital cearense vai passar pelo Trecho 01 do CAC que tem, ao todo, 149,85 km de extensão. Contudo, o “eixo emergencial”, que percorre somente 53 quilômetros desta primeira, está concentrado nos lotes 01 (38,5 km), 02 (9,2 km) e 05, onde estão os túneis Sítio Alto I, Sítio Alto II e Veneza.

O Cinturão das Águas tem o orçamento de 18,7 bilhões de reais e seu comprimento total chega a 1.300 km.