Categorias
Política Destaque2

Pesquisa aponta que 33% dos brasileiros acham o atual governo ótimo ou bom

A pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (8) mostra que o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem taxa de 33% de ótimo/bom. A pesquisa foi realizada nos dias 4 e 5 de julho com 2.086 entrevistados com mais de 16 anos, em 130 cidades do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos e o nível de confiança da pesquisa é de 95%.

Foram registrados os seguintes percentuais:

– 33% acham o governo ótimo ou bom;

– 31% acham regular;

– Para 33% o governo é ruim ou péssimo;

– E 2% dos entrevistado não soube responder.

Em abril, quando foi realizada a pesquisa anterior, os índices foram:

– 32% para ótimo/bom;

33% achava regular;

– 30% achou ruim ou péssimo;

– e 4% não soube responder.

Após seis meses de governo, em relação à expectativa com o futuro:

– 51% esperam que Bolsonaro faça um governo ótimo ou bom;

– 21% acredita num governo regular;

– e 24%, péssimo.

Antes da posse, a expectativa era:

65% esperavam que Bolsonaro fizesse um governo ótimo ou bom;

– 17%, regular;

– 12%, ruim ou péssimo.

O Datafolha também perguntou se Bolsonaro fez mais, menos ou o que deveria pelo país. Os resultados foram:

– Fez pelo país mais do que esperava: 12% (eram 13% em abril);

– Fez pelo país o que esperava que ele fizesse: 22% (eram 22%);

– Fez pelo país menos do que esperava: 61% (eram 61%).

– Age como presidente deveria: 22% (eram 27% em abril);

– Na maioria das ocasiões age como deveria: 28% (eram 27%);

– Em algumas ocasiões age como deveria: 21% (eram 20%);

– Em nenhuma ocasião age como deveria: 25% (eram 23%).

Outros presidentes

Aos seis meses de mandato, os percentuais de ótimo e bom dos demais presidentes foram os seguintes:

  • Fernando Collor (1990): 34%
  • Itamar Franco (1993): 24%
  • FHC 1 (1995): 40%
  • FHC 2 (199): 16%
  • Lula 1 (2003): 42%
  • Dilma 1 (2011): 49%
  • Dilma 2 (2015): 10%
  • Bolsonaro (2019): 33%
*Não houve pesquisa nos primeiros seis meses do mandato de Temer e do segundo mandato de Lula

(*) A informação foi divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo

Categorias
Geral

Data Folha: 59% dos jovens, negros e de baixa renda afirmam ter medo da polícia

Dados do Instituto Datafolha, divulgados pela Folha de São Paulo, nesta sexta-feira (12), revelam que 59% dos jovens, negros e de baixa renda dizem ter medo de policiais. A pesquisa aponta que apenas 39% dos jovens dizem confiar nos agentes.

De acordo com as informações, o cenário é oposto entre os autodeclarados brancos, mais velhos e com renda maior. Entre pessoas com esse perfil, 64% dizem confiar na polícia e 36% afirmam que temem os policiais.

No total, 51% da população dizem ter mais medo que confiança nos policiais.

Categorias
Geral Destaque2 Destaque3

Datafolha: 84% da população quer redução da maioridade penal de 18 para 16 anos

Uma pesquisa do Instituto Datafolha divulgada nesta segunda-feira, 14, mostra que 84% dos brasileiros são favoráveis à redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. Entre os entrevistados, 14% se opõem à alteração,  2% são indiferentes ou não opinaram.

O índice se manteve estável desde o último levantamento, em novembro de 2017. O apoio à diminuição da maioridade chegou a ser de 87% em abril de 2015. Dos que são favoráveis à redução, 33% defendem que a medida deve valer somente para determinados crimes, enquanto 67% acham que ela deve ser aplicada a todos os tipos.

Para que uma pessoa possa ser presa por um crime, a idade mínima apontada pelos entrevistados foi de 15 anos, em média. Para 45%, a faixa etária mínima deveria ser de 16 a 17 anos e, para 28%, de 13 a 15 anos. Uma minoria, de 9%, acha que a idade mínima ideal é de 12 anos. Na outra ponta, 15% defendem que uma pessoa, para ser presa, tenha pelo menos entre 18 e 21.

Foram entrevistadas 2.077 pessoas em 130 municípios em todas as regiões do país, entre 18 e 19 de dezembro de 2018. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Capa da matéria sobre a redução da maioridade penal/Foto: Reprodução

Perfil dos entrevistados

As mulheres, comparadas aos homens, tendem a ser mais contrárias à redução da idade penal: 17% delas não apoiam a medida. Entre os homens, esse índice é de 11%.

O mesmo ocorre com pessoas mais instruídas e mais ricas. Dos entrevistados com ensino superior, 22% são contrários à alteração, percentual que cai para 10% entre aqueles com ensino médio, por exemplo.

Entre brasileiros com renda familiar acima de dez salários mínimos, a parcela contrária à redução da idade penal é de 25%, enquanto apenas 12% das pessoas com renda de dois a cinco salários mínimos rejeitam a medida.

Novo Governo

O debate em torno da redução da maioridade penal tende a ganhar força neste ano, com Jair Bolsonaro (PSL) na Presidência. Durante a campanha, ele defendeu a alteração da idade em seus discursos, e a proposta constava, de forma enfática, do seu plano de governo: “Reduzir a maioridade penal para 16 anos”.

Em entrevista à Band, após eleito, Bolsonaro chegou a dizer que considerava 14 anos a idade ideal. “Se não for possível 16 [anos], passa para 17, daí o futuro presidente, se tiver resultado, tenta o 16. Eu gostaria que fosse 14, mas se botar 14 a chance é quase zero de ser aprovado [no Congresso]“, afirmou.

Ministro da Justiça/Foto: Reprodução

O ex-juiz Sergio Moro, que comanda o Ministério da Justiça, disse ser “bastante razoável” a redução da maioridade para 16 em casos de crimes graves, e citou projetos em tramitação no Congresso com esse teor.

Pessoa menor de 18 anos deve ser protegida, o adolescente. Muitas vezes ele não tem uma compreensão completa das consequências dos seus atos, mas um adolescente acima dos 16 já tem condições de percepção de que, por exemplo, não pode matar. Então ter um tratamento diferenciado para esse tipo de crime me parece algo assim bastante razoável“, afirmou em entrevista coletiva em novembro passado.

Categorias
Carlos Alberto FM 94.9 Geral

Os brasileiros estão cada vez mais otimistas com o futuro, revela Datafolha

Há poucos dias da posse do presidente eleito Jair Bolsonaro, os brasileiros estão cada vez mais otimistas com o futuro. Os números são da pesquisa do Datafolha e revelam que muitos brasileiros esperam um 2019 melhor, principalmente, na área econômica.

O correspondente do Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior), Carlos Alberto, detalha os resultados da pesquisa. Confira no player abaixo!