Categorias
Política Nacional

Em Nova Iorque, Alcolumbre promete a investidores que nova Previdência será aprovada

Em encontro promovido pelo Bank of America e pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, o presidente do Senado Federal Davi Alcolumbre afirmou que a reforma da Previdência é fundamental para o Brasil recuperar os investimentos e equilibrar as contas públicas, e garantiu que ela será aprovada.

Falando para empresários e investidores, o presidente do Senado reforçou a importância da reforma da Previdência:

Temos a tranquilidade e a condição de confiar na aprovação da reforma da Previdência para que a gente possa trazer o desenvolvimento, a geração de emprego e a diminuição das desigualdades, que são brutais no Brasil 

Para o presidente do Senado, é preciso acabar com os extremos em discussões que são fundamentais para o desenvolvimento do país, além de trabalhar diariamente buscando o entendimento e o diálogo com os Poderes.

As instituições estão fortes, estão consolidadas e acredito que, de mãos dadas, podem ajudar a transformar o Brasil. Poder Executivo, Poder Legislativo e Poder Judiciário juntos caminharão em uma estrada no sentido do progresso 

Também participaram do evento o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli; o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; e os senadores Fernando Bezerra (MDB–PE), Daniella Ribeiro (PP-PB), Rogério Carvalho (PT-SE), Rodrigo Cunha (PSDB-AL) e Eduardo Gomes (MDB-TO).

Categorias
Política Nacional

Ausência de Maia e Alcolumbre compromete tramitação de projetos

Nesta semana os presidentes da Câmara e do Senado Federal, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, respecitvamente, iniciaram uma série de reuniões com empresários e investidores, com o objetivo de estreitar os laços entre o capital internacional e os anseios nacionais.

Com previsão para retornarem somente na quarta-feira (15), Maia e Acolumbre terão agenda de compromissos bem recheada em Nova York, nos Estados Unidos. A ausência de ambos influência diretamente a tramitação dos projetos mais polêmicos, os quais costumam ficar de fora durante o hiato presencial dos líderes.

De qualquer modo, a Câmara tem expectativa em relação a votação que envolve a medida provisória da Reforma Administrativa que trata da divisão dos ministérios do governo Jair Bolsonaro.

Saiba mais sobre isso com as informações do correspondente Sátiro Sales (FM 89.5 – Canindé) para o Jornal Alerta Geral (Expresso FM 104.3 + 26 emissoras do interior)

Categorias
Política Destaque1 Destaque3

Após reunião com Maia, presidente do Senado diz não ver riscos à reforma da Previdência

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, disse não ver riscos de prejuízo para a análise da reforma da Previdência proposta pelo governo. A declaração foi feita após almoço com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, nessa segunda-feira (25). Os ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e outros integrantes do DEM também estiveram no encontro.

“O presidente Rodrigo Maia garantiu o apoio institucional do Poder Legislativo, da Câmara dos Deputados, às reformas que são importantes para o Brasil. E o governo, naturalmente, deverá fazer a sua tarefa de casa de construir a maioria na Câmara, construir sua base no Senado para aprovar essas reformas”, afirmou Alcolumbre.

Segundo o presidente do Senado, o almoço já estava marcado e não tem relação com os desentendimentos públicos entre Maia e integrantes do governo ocorridos na última semana.

Embora tenha visto “exagero dos dois lados”, o embate na política, segundo ele, é natural e faz parte das relações, embora o momento já tenha passado. “Isso aí já é uma matéria superada. A gente está aqui no Senado dando tranquilidade“, finalizou.

Categorias
Política Destaque1 Destaque3

Novo presidente do Senado diz que “desejos das ruas terão protagonismo”

O que se tornou uma verdadeira novela terminou com o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) sendo eleito, com 42 votos, em primeiro turno, como presidente do Senado. O principal opositor de Alcolumbre, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), retirou a candidatura durante a sessão.

Ao assumir a presidência, prometeu acabar com a votação secreta para a Mesa Diretora, prevista no Regimento Interno da Casa. “Esta será a sessão derradeira do segredismo”, afirmando, também, que sob seu comando “os desejos das ruas terão protagonismo“.

O senador fez um discurso de conciliação, agradecendo aos que disputaram a eleição contra ele, aos que desistiram e ao senador Renan Calheiros (MDB-AL), que se retirou do pleito na última hora. “Senador Renan Calheiros terá desta presidência o mesmo tratamento dos demais senadores”, afirmou.

Senador de primeiro mandato, Alcolumbre teve uma atuação discreta nos primeiros quatro anos de mandato no Senado. Na disputa pelo comando da Casa, revelou-se um hábil articulador, congregando os adversários de Renan Calheiros e os aliados do governo federal.

O novo presidente contou com o apoio do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, também filiado ao DEM.

Segundo informações da Agência Brasil, aos 41 anos, o senador estreou na política no início deste século. Foi vereador em Macapá, três vezes deputado federal e chegou ao Senado em 2015. Nas eleições de outubro passado, concorreu ao governo do Amapá e ficou em terceiro lugar.

Bolsonaro

Em sua conta no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro disse que Alcolumbre tem o desafio de transformar os sentimentos de mudança da população em ações.

Senador Davi, meus cumprimentos pela indicação de seus pares ao comando do Senado. O senhor tem como desafio transformar em ações o sentimento de mudanças que a população expressou nas últimas eleições. O governo está pronto para também cumprir a sua missão. O Brasil tem pressa!”, disse Bolsonaro.

Eleição

+ Após proposta de Cid Gomes, eleição para presidente do Senado acontece hoje

+ Toffoli determina votação secreta na eleição do Senado

+ Em eleição pulverizada, votação em cédula decide o novo presidente da Casa

+ Senadores decidem fazer nova votação para presidente

+ “Se eles podem tudo, sou eu que vou ser contra a Constituição?”, diz Renan ao desistir da disputa

+ Contrariando decisão do STF, Tasso e Girão exibiram seus votos