Categorias
Política Destaque1 Destaque3

Bate Papo: aprovação da PEC que veda o governo é recado claro a Bolsonaro

Sem negociação é possível que reforma da Previdência não passe – Bate Papo desta quarta-feira (27)

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nessa terça-feira (26), por 453 votos a 6, a PEC que torna o orçamento impositivo para as emendas de bancadas estaduais até 1% da receita corrente líquida realizada no ano anterior. Agora, a votação segue para o Senado e, caso passe, obriga o governo a executar todos os investimentos do Orçamento

No Bate Papo Político desta quarta-feira (27), os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida alertaram, no entanto, para o recado que vem com essa aprovação. Segundo os jornalistas, independente de seus desdobramentos, o termo de recado para o presidente Jair Bolsonaro é claro: se não houver negociação, as propostas do governo não passam.

Para Beto Almeida, a medida veda o governo – “do jeito que foi aprovado na Câmara, o governo está engessado“. O embate ocorre no auge de uma crise entre Maia e o presidente Jair Bolsonaro (PSL), com troca de farpas durante a semana. Após a votação de ontem, o presidente da Câmara negou que a aprovação da PEC seja uma derrota para o Executivo.

Caso o governo não cumpra a media

O jornalista Luzenor de Oliveira levantou o questionamento durante o Bate Papo: o que pode acontecer caso o governo não cumpra a determinação de executar todos os investimentos do Orçamento? A resposta do jornalista Beto Almeida foi clara: vira crime.

Para Luzenor de Oliveira, muita gente pode dizer que é um tema ainda distante da realidade cearense, mas, segundo ele, há uma vontade por parte dos estados de quererem a demanda, o que aceleraria sua aprovação e a transformaria em uma imposição para o governante.

Categorias
Política Destaque2 Destaque3

Ciro declara guerra a reforma e convoca pressão aos deputados federais

A oposição já se articular na arena política para votação da reforma da Previdência e um dos basilares desta liderança está no Ceará. O ex-candidato Ciro Gomes declara guerra à reforma previdenciária e, dessa vez, de forma mais dura. Nas redes sociais, Ciro chama, inclusive, a participação do eleitorado nessa votação.

Pelo Instagram, Ciro Gomes usou termos fortes. Disse que é uma reforma ruim, que o governo está apresentando uma proposta que prejudica os trabalhadores, cheias de falhas. Na postagem, diz que “está na hora de cada um de nós procurar o deputado federal em quem votou e pedir o voto contrário a reforma“.

No Bate Papo Político desta quarta-feira (13), no Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior) , os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida falaram da “disposição de ir à guerra” demonstrada por Ciro. “Em outras palavras, ele quer uma pressão mais afiada nos deputados federais que votarão“, comenta Beto Almeida.

O jornalista Luzenor de Oliveira ressalta, ainda, que a pressão proposta por Ciro foi a “mesma pressão que funcionou no ano passado“, quando o então presidente Michel Temer encaminhou a proposta ao Congresso Nacional. Além dessa declaração, Ciro destaca que, pelo menos, 200 deputados ainda podem ‘comercializar’ seus votos.

Se a oposição não trabalhar junto, o governo tende a conseguir esses votos.