Categorias
Interior

Decon Viajante realiza registros de reclamações e renegociação de dívidas em municípios do interior

Entre os dias 29 de outubro e 1 de novembro, os municípios de Boa Viagem, Monsenhor Tabosa, Madalena e Choró receberão atendimento especializado do Projeto Decon Viajante. A iniciativa, coordenada pelo Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon) do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), dá à população oportunidade de tirar dúvidas e registrar reclamações contra fornecedores de produtos e serviços e contra estabelecimentos que descumpram as leis.

A van itinerante do Projeto fica estacionada nas Praças Centrais de cada cidade, sempre das 8h às 14h. O veículo seguirá o seguinte cronograma: Boa Viagem (29/10), Monsenhor Tabosa (30/10), Madalena (31/10) e Choró (01/11).

Além de registrar reclamações e denúncias da população dos municípios visitados, o Decon ainda vai intermediar um mutirão de renegociação de dívidas contra todos os segmentos de consumo, com destaque para instituições financeiras, empresas de telefonia e serviços essenciais (água e energia elétrica).

Na ocasião, os consumidores endividados terão a oportunidade de renegociar dívidas com condições especiais de desconto e parcelamento do débito. Para isso, é necessário que eles estejam de posse de todos os documentos referentes à dívida e saibam do que devem dispor financeiramente para fazer a negociação.

Confira a lista das empresas que poderão ser demandadas durante o mutirão:

Instituições Financeiras:

Banco do Brasil

Caixa Econômica Federal

Banco Bradesco

Banco Santander

Banco Pan

Banco Itaú

Banco BMG

FortBrasil

Telefonia:

Vivo

Oi Móvel e Fixo

Claro

Tim

SKY

Serviços Essenciais:

CAGECE

ENEL

Sobre o projeto

Em 2019, o projeto Decon Viajante realizou mais de 700 atendimentos no interior do Ceará, entre registro de reclamações e dúvidas, tendo visitado, até agora, 46 municípios. Até o fim do ano, a van deve visitar mais dez cidades cearenses. O objetivo da ação é descentralizar o atendimento do Decon, criando postos de atendimento móvel na Capital e no Interior do Estado, contribuindo, assim, para a resolução de conflitos nas relações de consumo. O projeto visa, ainda, a implantação de Procons em municípios cearenses integrados ao Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (SINDEC).

Categorias
Economia Destaque3

Caixa realiza Semana Nacional de Conciliação para facilitar regularização de dívidas

A Caixa Econômica Federal realiza em todo o país a partir de hoje (7) até esta sexta-feira (11), a Semana de Conciliação, que facilitará a regularização das dívidas com descontos de até 90% para pagamentos à vista. Segundo o banco cerca de 120 mil clientes com dívidas cobradas na Justiça, poderão renegociar os débitos.

A ação abrange 71 mil pessoas físicas, das quais um quarto poderá quitar dívidas à vista por menos de R$ 1 mil, e 50 mil pessoas jurídicas, das quais mais de 44% poderão pagar à vista com valores inferiores a R$ 10 mil.

Mesmo se o devedor não puder liquidar à vista, a Caixa oferecerá descontos e condições especiais que variam conforme a situação do contrato e o tipo de operação de crédito.

Segundo a Caixa, a ação tem como objetivo encerrar processos judiciais de maneira conciliatória, extinguindo a ação e possibilitando o resgate do poder de compra e de pagamento.

Após a renegociação, o cliente recuperará a capacidade de pedir crédito no mercado, com a retirada das restrições dos cadastros externos de devedores.

As renegociações ocorrerão em todo o país. Os clientes que receberam carta-convite da Caixa poderão ser atendidos nas agências do banco ou em determinadas varas da Justiça Federal. A lista completa com os locais de atendimento pode ser conferida em: www.caixa.gov.br/vocenoazul.

Categorias
Carlos Alberto Alencar

Chega a 73% o número de brasileiros que tem mais da metade da renda comprometida com o pagamento de dívidas

Percentual de endividados no Brasil com mais da metade da renda comprometida com o pagamento de dividas chegou a 73% no primeiro semestre deste ano. Os dados são da pesquisa realizada pela Boa vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito).

O assunto foi destaque no Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior), pelo jornalista, Carlos Alberto Alencar. O comentarista destaca que o índice é bastante elevado, indicando que mais de sete em cada dez pessoas tem renda mensal comprometida com dívidas.

Confira a análise completa clicando no player abaixo:

Categorias
Nacional

Caixa dá 90% de desconto para 3 milhões de clientes com dívidas

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse que o banco lançará um programa de renegociação de dívidas para tentar beneficiar até 3 milhões de clientes.

Serão ofertados descontos de até 90% no valor das dívidas. O total dos débitos chega a R$ 4 bilhões, e Guimarães calculou que pelo menos R$ 1 bilhão pode ser recuperado. Ele não divulgou a data que o programa começará.

Na última semana, o ministro Paulo Guedes (Economia) afirmou que a Caixa não deve dar lucro , mas sim repassar seus ganhos para outros fins, como baixar juros.

De acordo com um técnico da equipe econômica, o programa de renegociação de dívidas público faz parte da estratégia do governo de adotar medidas para estimular a economia.

“Não podemos esperar apenas a aprovação da reforma da Previdência. Isso é importante para estimular a economia pelo canal do crédito. Pelo menos 65% dos clientes bancários com dívida são de baixa renda, e esse grupo é importante”, disse.

A Caixa também anunciou uma nova linha de crédito para compra da casa própria, mas não deu detalhes.

“São 300 mil pequenas empresas e 2,6 milhões de pessoas que poderão renegociar as dívidas. Todos estão negativados. Esses recursos já estão lançados como prejuízo, fora do balanço. Essas pessoas estão à margem, e poderemos voltar a oferecer crédito, como o consignado”, disse.

Segundo Guimarães, esses clientes têm renda de até cinco salários mínimos. Ele declarou esse movimento ajudará a estimular a economia. “Com os descontos, a maioria das dívidas chegará a R$ 2.000. Essa pessoa que está pagando 10% de juros ao mês poderá pagar juros de 2%”, disse.

Categorias
Economia

Clientes de baixa renda são os que mais reestruturam dívidas do cartão

Os clientes de bancos de baixa renda são os que mais recorrem à reestruturação  de dívidas e a principal modalidade  é o cartão de crédito, segundo estudo do Banco Central (BC).

A reestruturação de dívida ocorre nas situações em que o tomador de crédito enfrenta dificuldades financeiras evidentes e, em geral, já tem parcelas em atraso. É diferente da renegociação de dívida que costuma ocorrer por meio de alongamento de prazos, redução de taxas, alteração nas condições de pagamento, obtenção de recursos adicionais, migração para outras modalidades de crédito, entre outras possibilidades.

Segundo o BC, os tomadores de crédito com renda inferior a três salários mínimos correspondiam a 70% dos clientes que reestruturaram dívida, em dezembro de 2018.

Sobressaem nessa faixa os clientes com renda de até dois salários mínimos, representando 53% do total. O saldo reestruturado na faixa até três salários mínimos totalizou R$ 1,2 bilhão, o equivalente a 43% da carteira ativa reestruturada e a 0,21% de toda a carteira ativa para essa faixa de valor, diz o BC.

 

Categorias
Economia

Percentual de brasileiros endividados cresce em abril

O percentual de famílias brasileiras com dívidas chegou a 62,7% do total, em abril deste ano. O dado, divulgado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), é superior aos registrado em março e em abril de 2018. Em Fortaleza, mais da metade da população está endividada, aproximadamente 57,2%.

De acordo com o órgão, a alta no percentual de famílias com dívidas pode ser explicada pelo consumo exagerado. A parcela de inadimplentes, ou seja, de pessoas com contas ou dívidas em atraso, também cresceu e ficou em 23,9%.

As famílias que não têm condições de pagar suas dívidas ou contas em atraso chegaram a 9,5% em abril deste ano.

Categorias
Educação Destaque3

Dívida acumulada com Fies chega a R$ 13 bilhões

De acordo com dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), mais da metade (59%) dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), em fase de consignação, que somam 899.957 contratos, estão com pelo menos um dia de atraso no pagamento em janeiro. Isso significa que três em cada cinco estudantes que usaram o Fies para pagar a faculdade estão inadimplentes. A maioria (45%) por mais de 90 dias.

A dívida acumulada por esses acordos já ultrapassa R$ 13 bilhões, um recorde na história do fundo, que está completando 20 anos de existência. Segundo o FNDE, metade dos estudantes endividados possuía até 24 anos no início da faculdade. Maioria é do sexo feminino (60%), e com renda de até 1,5 salário mínimo (79%). Dos estudantes, 89% se declararam branco ou pardo na hora da matrícula.

Em 2018, foram concedidos 82.424 novos termos de financiamento, quase dez vezes menos do que em 2014, onde teve 732.673 contratos. Naquela época, houve uma flexibilização nas bolsas, com relaxamento da exigência de fiador e prazo de quitação alongado, carência de 18 meses após a formatura. No Cariri, a exemplo do que acontece em outros municípios do Ceará, são milhares de estudantes com o financiamento em atraso.

Informações do correspondente do Jornal Alerta Geral, Sólon Vieira: