Categorias
Economia

Brasil tem melhor registro de geração de empregos em seis anos, no Ceará foram 2,1 mil novos empregos

O Brasil registrou a criação de 129.601 vagas formais de emprego em abril. Este é o melhor resultado para mês desde 2013, quando foram abertos 196.913 postos. O Ceará tem o terceiro mês seguido com geração de emprego, ao todo o estado criou 2.153 empregos com carteira assinada. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério da Economia,

De acordo com o levantamento, se comparado com abril de 2018, o estado registrou uma queda de 30,5% na quantidades de vagas de emprego criadas. Apesar da redução de um ano para o outro, na passagem de março para abril o saldo cresceu 0,19%. No acumulado do primeiro quadrimestre, o Ceará perdeu 5.624 vagas.

Em abril deste ano, a construção civil foi o segmento que mais perdeu postos de trabalho formais em abril: com a admissão de 3.012 colaboradores e a demissão de outros 3.522. No sentido contrário, o setor de serviços fechou o mês com saldo positivo que alcançou, tendo contratado 13.922 e demitido 12.121 trabalhadores.

Entre os municípios com os melhores resultados, Fortaleza ficou com o primeiro lugar, com saldo de 1.207 postos. Em seguida, aparecem Caucaia, Barbalha, Sobral e Eusébio.

 

Categorias
Economia

Abril tem a maior criação de emprego formal para o mês desde 2013

A criação de empregos com carteira assinada atingiu, em abril, o maior nível para o mês em seis anos, segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Ao todo, foram criados 129.601 postos formais de trabalho no último mês. O indicador mede a diferença entre contratações e demissões. Beneficiada pelos serviços e pela indústria

A última vez em que a criação de empregos tinha superado esse nível foi em abril de 2013, quando as admissões superaram as dispensas em 196.913. A criação de empregos totaliza 313.835 de janeiro a abril e 477.896 nos últimos 12 meses.

Na divisão por ramos de atividade, todos os oito setores pesquisados criaram empregos formais em abril. O campeão foi o setor de serviços, com a abertura de 66.290 postos, seguido pela indústria de transformação (20.470 postos). Em terceiro lugar, vem a construção civil (14.067 postos).

O nível de emprego aumentou na agropecuária (13.907 postos); no comércio (12.291 postos), na administração pública (1.241 postos); nos serviços industriais de utilidade pública, categoria que engloba energia e saneamento (867 postos) e extrativismo mineral (454 postos).

Tradicionalmente, a geração de emprego é alta em abril, por causa do início das safras e do aquecimento da indústria e dos serviços.