Categorias
Luzenor de Oliveira Política Estadual Destaque3

Landim destaca que, mesmo com esforço, rota aérea para o Cariri seria viável somente entre 90 e 120 dias

O deputado estadual Guilherme Landim (PDT) voltou, nesta quinta-feira (25), a manifestar preocupação com o impacto econômico na Região do Cariri com a suspensão dos vôos da Avianca ligando o Sul do Ceará à Região Metropolitana de Fortaleza e ao Sudeste do País. Ele antecipou que cresce a preocupação com a queda no fluxo de passageiros e, especialmente, com as dificuldades que representantes de empresas instaladas no Cariri têm para se deslocar para os seus estados de origem.

Landim destacou a mobilização de deputados estaduais e federais, senadores e lideranças empresariais do Ceará para viabilização de uma nova empresa para realizar a rota área para o Cariri. Disse que, mesmo com todo o esforço que está sendo realizado, as conversas de bastidores no setor da aviação apontam que, qualquer solução para substituição da Avianca seria possível somente em 90 ou 120 dias.

O diagnóstico é real, segundo o parlamentar: não há solução imediata porque as empresas não dispõem de aeronaves para atender a nova rota. O pedetista afirmou que conversou com o Governador Camilo Santana (PT) e com o senador Cid Gomes (PDT) sobre a necessidade urgente em busca de uma solução para a volta dos voos para o Aeroporto Regional do Cariri, com sede em Juazeiro do Norte.

Os prejuízos, segundo Guilherme Landim, não são apenas para o Cariri, mas, também, para os municípios dos estados de Pernambuco e Paraíba, que fazem divisa com o Ceará. As empresas não têm aeronaves disponíveis para substituir a Avianca, mas encontram, do ponto de vista comercial, conforme o parlamentar, motivos para viabilizar vôos para o Cariri. O atrativo, segundo ele, está na lotação média de 83% a 93%, nas rotas que eram realizadas pela Avianca.

Deputado Guilherme Landim / Foto: Edson Júnior Pio – Assembleia Legislativa

Em aparte ao pronunciamento de Guilherme Landim, o deputado estadual Fernando Santana (PT) disse que conversou com o Secretário de Turismo do Estado, Arialdo Pinho, que manteve contatos com empresas áreas – como Gol e Azul – mas sentiu dificuldades para as empresas entrarem nessa rota e, ao mesmo tempo, praticarem os mesmos preços das passagens.

A crise na aviação que atinge a Região do Cariri mobiliza lideranças políticas e empresariais para uma audiência pública, a ser realizada, na próxima segunda-feira (29), a partir das 14 horas, na Assembleia Legislativa. O debate buscará não apenas um caminho para a substituição da Avianca, mas, também, solução para os passageiros que foram surpreendidos com a suspensão dos vôos. Além disso, a audiência busca soluções para os funcionários da empresa que não sabem se receberão salários e direitos trabalhistas..

Categorias
Luzenor de Oliveira Política Nacional Destaque1

Crise na Avianca chega à Assembleia. Guilherme Landim lamenta suspensão de voo para o Cariri

O cancelamento de vôos da Avianca repercutiu, nesta terça-feira (16), na Assembleia Legislativa. O deputado estadual Guilherme Landim (PDT) lamentou a suspensão do voo da madrugada, entre Juazeiro do Norte e Fortaleza, e fez apelos para um esforço concentrado da Assembleia Legislativa no sentido da Infraero encontrar uma alternativa com vistas à retomada dessa linha área tão importante para a Região Sul do Ceará.

Guilherme, ao relatar os prejuízos com a saída da Avianca do Aeroporto Regional Orlando Bezerra, a partir dessa próxima segunda-feira (22), disse que o voo entre Juazeiro do Norte e Fortaleza atendia, além de passageiros de municípios do Cariri cearense, moradores de cidades dos Estados de Pernambuco e da Paraíba.

Com a decisão da Avianca, de acordo com Guilherme Landim, é urgente a Infraero encontrar uma saída para outra empresa fazer a ligação aérea, pela madrugada, entre as Regiões Metropolitana do Cariri e de Fortaleza. Guilherme lembrou que uma das primeiras preocupações de quem quer investir na Região do Cariri é a facilidade para chegar, por via área, às cidades do Sul cearense.

A concentração de um dos maiores polos de ensino superior e de saúde na Região Metropolitana do Cariri, principalmente, nas cidades de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha atrai dezenas de profissionais – professores, médicos, palestrantes, investidores, que precisam de um deslocamento mais ágil. Sem o voo da Avianca, os setores de educação superior e de saúde, também, serão atingidos.

Entre o último domingo, (14), e esta quarta-feira (16), a companhia já havia cancelado outros 23 voos na Capital cearense. O número é parte dos 179 afetados em todo o Brasil. A crise na Agência veio após uma recuperação judicial, que fez com que a Avianca devolvesse aviões devido à falta de pagamento da empresa.

Categorias
Luzenor de Oliveira Política Destaque1 Destaque3

Guilherme Landim faz alerta sobre atraso da Transposição e risco de barragem com infiltração no Cariri

Guilherme Landim (PDT), sobre obras da Barragem de Boi I

O deputado estadual Guilherme Landim (PDT) fez, nesta quarta-feira (13), apelos a bancada do Ceará, em Brasília, para o Governo Federal ser pressionado para agilizar as obras de Transposição de Águas do Rio São Francisco.

Guilherme, que pediu a criação de uma comissão especial no âmbito da Assembleia Legislativa para acompanhamento das obras da transposição, defendeu, ainda, a antecipação da vistoria da Agência Nacional de Águas (ANA) em barragens que irão receber as águas do São Francisco na Região do Cariri.

A maior preocupação, segundo o parlamentar, é com as obras da Barragem de Boi I, no município de Brejo Santo, com capacidade para 17,5 milhões de m³, que apresenta infiltração e gera risco para a comunidade. O pedetista disse, ainda, que a barragem acumula hoje 10% do volume total de sua capacidade e, se, nesse momento apresenta infiltrações, há necessidade urgente de correção das obras.

Guilherme disse ter ouvido de técnicos da empresa responsável pelas obras que não há anormalidade na estrutura da barragem.

Outra preocupação, de acordo com o deputado Guilherme Landim, é com a Barragem dos Porcos, também, em Brejo Santo, que tem uma parede com 334 metros de extensão e 28 metros de altura, e capacidade de acúmulo de 135 milhões de metros cúbicos de água. Ele disse que, se o reservatório sangrar após ficar cheio, o Riacho dos Porcos não terá condições para escoar todo o volume de água, o que, conforme o parlamentar, exige a conclusão de obras complementares.

Ao fazer o pronunciamento, nesta quarta-feira, na Assembleia Legislativa, Guilherme Landim revelou, com base em informações de técnicos da empresa Serveng – responsável pelo trecho das obras entre os municípios de Jati e Mauriti, passando por Brejo Santo – que, somente em setembro, as barragens de Jati  (28 mi de m3), Atalho (108  mi de m3), Porcos (135 mi de m3), Canabrava (14 milhões de m3) Boi I II (17,5 mi) e Cipó (17 mi de m3) ficarão cheias com as águas da Transposição do São Francisco.

Guilherme disse que, diante dessa previsão, é importante o olhar especial dos deputados federais e senadores do Ceará para cobrar ao Ministério da Integração Nacional a conclusão das obras e canais que garantirão águas do São Francisco aos municípios cearenses.