Categorias
Cidade

Requalificação da Praia do Futuro prevê tamanho das barracas e área para banhistas

O Ministério Público Federal (MPF) aprovou o termo de diretrizes que sustenta as ideias de projetos arquitetônicos para a requalificação da Praia do Futuro, em Fortaleza. Firmados por instituições públicas e privadas, entre os objetivos do terma está a delimitação do tamanho e a realocação das barracas, a preservação visual do mar e a manutenção da faixa de areia livre para uso dos banhistas.

O Fórum Permanente para a Requalificação da Praia do Futuro se reuniu ontem (25), e determinou que no prazo de até 90 dias, o MPF vai analisar, juntamente com a Advocacia-Geral da União (AGU), a proposta final do projeto. Após esse período, serão concedidos mais 90 dias à seccional cearense do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB-CE) e à Prefeitura de Fortaleza, que ficarão responsáveis pela elaboração de edital para selecionar as melhores ideias para estruturar a praia.

O edital vai servir para a elaboração de um concurso nacional em que iniciativas poderão sugerir proposições sobre como melhor qualificar o espaço. Para participar da seleção, os interessados deverão apresentar ideias que vão ao encontro daquilo proposto pelo termo de referência aprovado pelo fórum.

O projeto arquitetônico de “requalificação” da Praia do Futuro corresponde entre a rua Ismael Pordeus e a foz do Rio Cocó.