Categorias
Saúde

Caucaia finaliza campanha contra a gripe com meta batida; cobertura foi de 92,94%

Caucaia superou pelo segundo ano consecutivo a meta estabelecida pelo Governo Federal para vacinar grupos prioritários contra a gripe H1N1. Na mobilização que encerrou na última sexta-feira (14), o município alcançou 92,94% de cobertura vacinal sem o registro de mortes decorrentes da doença.

Divulgados nesta terça-feira (18) pelo setor de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), os dados mostram resultado superior ao ano passado, com o total de 90.032 doses aplicadas nos grupos prioritários. Em 2018, o município imunizou 87.621 pessoas.

Além da meta nacional, de 90%, Caucaia também ultrapassou a média do Ceará, de 78,49%. “O excelente resultado é consequência de uma força-tarefa abraçada pelo nosso prefeito Naumi Amorim, equipe de profissionais da saúde e dos nossos agentes comunitários. O sentimento é de dever cumprido”, avalia o secretário municipal de Saúde Moacir Soares.

A campanha foi iniciada em 10 de maio, com Caucaia mobilizando as equipes de suas 46 salas de vacina das Unidades Básicas de Saúde. A força-tarefa da Prefeitura, por meio da SMS, viabilizou também dois dias D de imunização (aos sábados).

De acordo com o setor de Imunização da SMS, alguns postos continuam ofertando a segunda dose para crianças que necessitam reforçar a vacina, conforme preconiza o Ministério da Saúde.

Categorias
Economia

Metas fiscais para governos locais e estatais são revisadas

As metas fiscais para estados, municípios e estatais federais foram revisadas, disse hoje (22), o secretário Especial de Fazenda, Waldery Rodrigues. O superávit primário para os governos locais caiu praticamente pela metade, enquanto o resultado das estatais melhorou.

A meta de superávit primário para estados e municípios passou de R$ 10,5 bilhões para R$ 5,9 bilhões. Além da desaceleração da economia, que reduz a arrecadação, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de permitir que Minas Gerais não pague dívidas garantidas pela União provocou a redução da estimativa.

“Somente a decisão do Supremo teve impacto de R$ 2,1 bilhões na meta de superávit. Esse foi o principal fator”, explicou Rodrigues.

A deterioração do resultado dos governos locais foi compensada pela melhoria no resultado das empresas estatais federais. A meta para as empresas passou de déficit de R$ 3,5 bilhões para superávit de R$ 881 milhões. O secretário especial de Fazenda explicou que o desempenho melhor que o esperado das estatais justificou a revisão para cima da estimativa.

A meta para o governo federal foi mantida em déficit de R$ 139 bilhões. Os resultados primários consideram o superávit ou déficit dos entes públicos sem o pagamento dos juros da dívida pública.

As revisões não alteraram a meta para o setor público consolidado, que engloba União, estados, municípios e estatais. Os quatro níveis de governo deverão encerrar o ano com déficit primário de R$ 132,2 bilhões, contra R$ 132 bilhões da meta anterior. O resultado do setor público é calculado pelo Banco Central, com base na variação do endividamento de cada ente público.

Categorias
Educação Destaque2

174 municípios cearenses apresentam risco de descumprir meta do Plano Nacional de Educação

Um levantamento realizado pelo TC Educa, plataforma eletrônica desenvolvida para monitorar e fiscalizar o cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação (PNE), mostra que 174 municípios cearenses apresentam risco de descumprir a meta no prazo estabelecido.

De acordo com o estudo, apenas os municípios de Eusébio, Guaramiranga, Horizonte, Itaitinga, Jijoca de Jericoacoara, Maracanaú, Pindoretama e São Gonçalo do Amarante estiveram em situação regular em 2017. Entre eles, o Eusébio foi o que mais registrou avanço entre 2014 e 2017.

O Plano Nacional de Educação (PNE) estabelece metas e estratégias de orientação das políticas educacionais até 2024. A meta 2 analisada no levantamento, determina que todas as crianças e adolescentes, de 6 a 14 anos de idade, devam estar matriculados no Ensino Fundamental até o último ano de vigência do Plano Nacional de Educação (PNE). No Ceará, 94,5% dos municípios correm o risco de descumprir este indicador.

A Secretaria da Educação do Estado (Seduc) informa manter parcerias com os municípios para melhorar a qualificação do atendimento aos alunos.