Categorias
Cultura

WhatsApp, Instagram e Facebook têm apagão global neste domingo

Segundo dados do serviço de monitoramento Downdetector, as redes sociais WhatsApp, Facebook, Messenger e Instagram estão parcialmente inacessíveis na manhã deste domingo (14). As plataformas estariam fora do ar em vários países europeus, como Reino Unido e na Itália. Até o momento as razões de falhas não foram esclarecidas.

Os relatos de instabilidade se espalham pelo Twitter, para onde os usuários questionam os motivos de não conseguirem acessar as outras redes. O Facebook ainda não se pronunciou em seus canais oficiais. Todos os serviços pertencem à empresa de Mark Zuckerberg.I

Categorias
Política Destaque1

Acompanhe o programa pelas Redes Sociais

– PEC da Previdência Social, com mudanças no BPC e na aposentadoria rural, é considerada constitucional;

– Camilo Santana acusa General Theophilo de usar episódio de Maracanaú para “fazer politicagem baixa”;

– Mais da metade das vagas do Mais Médicos no Ceará está ociosa;

– Dnocs corre risco de não ter verbas para manutenção de suas barragens;

Jornal Alerta Geral #67 – Quarta-feira (10/04/19)

O Jornal Alerta Geral é gerado pela Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza, e transmitido, via satélite, para outras 26 emissoras no Interior do Estado. Com essa cobertura pelo rádio, a gente chega a mais de 150 municípios e, com as redes sociais, chegamos a todo o Estado.

Posted by Ceará Agora on Wednesday, April 10, 2019

Categorias
Política Destaque2 Destaque3

Após polêmica, Palácio divulga nota explicando postagem de Bolsonaro

Após polêmica envolvendo o presidente Jair Bolsonaro que, pelo Twitter, divulgou vídeo de cunho pornográfico, o Palácio do Planalto divulgou nota para explicar o vídeo polêmico compartilhado. A publicação, feita na última terça-feira (5), levantou discussões nas redes sociais e ganhou destaque nos noticiários de todo o país.

+ Na postagem, o presidente relacionou as cenas obscenas do vídeo ao Carnaval de rua.

De acordo com a nota do governo, Bolsonaro não teve a intenção de criticar o Carnaval de forma genérica“. O objetivo seria “caracterizar uma distorção clara do espírito momesco, que simboliza a descontração, a ironia, a crítica saudável e a criatividade da nossa maior e mais democrática festa popular”.

O texto diz ainda que os atos exibidos no vídeo violentam “os valores familiares e as tradições culturais do carnaval e ressalta que a publicação foi compartilhada na “conta pessoal” de Bolsonaro. Segundo a nota, as cenas “escandalizaram não só o próprio presidente, bem como grande parte da sociedade”

Nota na íntegra: 

A respeito de publicação realizada na conta pessoal do Presidente da República, em 5 de março, convém esclarecer que:

– No vídeo, postado pelo Sr. Presidente da República em sua conta pessoal de uma rede social, há cenas que escandalizaram, não só o próprio Presidente, bem como grande parte da sociedade.

– É um crime, tipificado na legislação brasileira, que violenta os valores familiares e as tradições culturais do carnaval.

– Não houve intenção de criticar o carnaval de forma genérica, mas sim caracterizar uma distorção clara do espírito momesco, que simboliza a descontração, a ironia, a crítica saudável e a criatividade da nossa maior e mais democrática festa popular.

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

Categorias
Política Destaque2 Destaque3

Por Twitter, Bolsonaro defende ‘Lava Jato da Toga’ e critica gastos na Educação

Pelo Twitter, o presidente Jair Bolsonaro defendeu o que chamou de “Lava Jato da Educação“. O post foi feito na manhã desta segunda-feira (4), onde, para embasar seu ponto de vista, citou que o Brasil gasta mais em educação em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) do que a média de países desenvolvidos, mas ocupa as últimas posições na Programa Internacional de Avaliação (PISA).

Segundo ele, em 2003, o Ministério da Educação (MEC) gastava R$ 30 bilhões em Educação, e, em 2016, gastou quatro vezes mais, chegando a R$ 130 bilhões.

Há algo de muito errado acontecendo: as prioridades a serem ensinadas e os recursos aplicados. Para investigar isso, o Ministério da Educação junto com o Ministério da Justiça, Polícia Federal, Advocacia e Controladoria Geral da União criaram a Lava-Jato da Educação.”

Segundo o presidente, os dados iniciais da investigação revelam “indícios muito fortes” de que a máquina está sendo usada para a manutenção de “algo que não interessa ao Brasil”. Ele ainda completou que sabe que isso pode acarretar greves e movimentos coordenados, “prejudicando o brasileiro“.

Brasil gasta mais em educação em relação ao PIB que a média de países desenvolvidos. Em 2003 o MEC gastava cerca de R$30bi em Educação e em 2016, gastando 4 vezes mais, chegando a cerca de R$130 bi, ocupa as últimas posições no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA)— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) 4 de março de 2019