Categorias
Política

Impacto dos cortes em ciência e tecnologia será discutido por Comissão de Orçamento

O impacto da ciência e da tecnologia na economia do país será pauta da audiência pública promovida pela Comissão Mista de Orçamento (CMO) nesta quarta-feira (23), às 14h30. O encontro atende requerimento do senador Izalci Lucas (PSDB-DF). A audiência será no plenário 2 da Câmara dos Deputados.

Em seu requerimento para realização da audiência, o senador defende “o restabelecimento da prioridade à ciência e à tecnologia nos orçamentos públicos”. Izalci Lucas acredita que o teto dos gastos (Emenda Constitucional 95) comprometerá as pesquisas em curso e prejudicar a formação da próxima geração de pesquisadores.

Foram convidados para o debate os secretários-executivos dos Ministérios da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Júlio Semeghini, e da Economia, Marcelo Pacheco dos Guaranys. Também devem participar o presidente da Academia Brasileira de Ciências, Luiz Davidovich, e o chefe do projeto de construção do acelerador Sirius, Antônio José Roque da Silva, além do presidente do Conselho de Administração da Klabin S.A, Horácio Lafer Piva, e um representante do Centro de Pesquisa em Energia e Materiais.

*(Com informações da Agência Senado)

Categorias
Saúde

Municípios cearenses vão receber recursos para equiparem salas de vacinação

Os municípios cearenses com até 100 mil habitantes, vão receber nos próximos meses cerca R$ 2 milhões e 800 mil reais do Ministério da Saúde para que possam adquirir câmaras frias a fim de ampliar a estrutura de armazenamento de vacinas e imunobiológico. Ao todo, serão R$ 44,2 milhões de reais liberados para as cidades brasileiras.

A medida tem por objetivo garantir a qualidade dos imunobiológicos ofertados à população e a execução da Política Nacional de Imunizações dentro do padrão de qualidade e segurança do Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com o ministério, além do critério do número de habitantes, o município precisa ter implantado o sistema de informação nominal do Programa Nacional de Imunizações e não dispor de uma câmara refrigerada.

No Ceará, dos 184 municípios apenas 9 tem população acima de 100 mil habitantes, são eles: Fortaleza, Caucaia, Juazeiro do Norte, Maracanaú, Sobral, Crato, Itapipoca, Maranguape e Iguatu.

O dinheiro será liberado na modalidade fundo a fundo, em parcela única, pelo Fundo Nacional de Saúde aos Fundos de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e/ou Municipais, por meio do Bloco de Investimento na Rede de Serviços Públicos de Saúde, no Grupo de Vigilância em Saúde. Todos os procedimentos e critérios para o repasse dos recursos financeiros serão divulgados em portaria que o ministério publicará em breve.

Categorias
Economia Destaque3

Ceará deverá ter todas as cidades conectadas à Fibra Ótica em 2 anos

Com uma das maiores coberturas de banda larga fixa do País, o Ceará deverá ter, até 2021, todos os municípios integrados a rede de fibra ótica instalada pelo Governo do Estado em parceria com empresas locais. Intitulado de Cinturão Digital, o programa contava 113 municípios no fim de 2018, além de outros 45 cobertos por empresas privadas.

O número corresponde a 85,8% do total de municípios, sendo a quinta maior participação entre os estados brasileiros e a maior da região Nordeste, segundo atestam dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Dos 113 municípios atendidos pela rede de fibra ótica, 94 recebem os cabos na sede municipal. Estas concentram 90% da população urbana do Estado.

Desde que foi implantado, em 2011, o Cinturão Digital vem provocando um crescimento exponencial do acesso à internet via rede de banda larga fixa no interior do Estado. Naquele ano, o Ceará tinha pouco mais de 400 pontos de conexão, e hoje conta com mais de 300 mil.

Categorias
Cidade Cotidiano

SBPC discute desafios para a ciência e tecnologia no país

Ocorre desde domingo (21), em Campo Grande (MS), na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), a 71ª reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Considerado o principal evento de pesquisa acadêmica do país, reúne professores e cientistas das mais diversas regiões. Até sábado (27), a programação inclui apresentação de trabalhos e debates sobre desafios à produção de conhecimento em distintos campos.

O encontro recebe conferências sobre variados assuntos, como impactos da privação do sono, métodos de análise da biodiversidade brasileira, doenças infecciosas em megacidades, cooperativismo no país, uso da robótica como recurso pedagógica em salas de aula e impactos do envelhecimento na assistência à saúde.

Mais de 18 mil pessoas se inscreveram para participar da reunião anual. Há uma média de 14 conferências e 15 mesas-redondas simultâneas a cada dia. Também haverá a apresentação de 688 trabalhos acadêmicos.

Nas áreas abertas ao público, serão realizados 44 minicursos, e estandes apresentam as produções de institutos de pesquisa vinculados ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). No sábado (27), último dia do encontro, o evento é aberto a todas as pessoas para que possam visitar a universidade e as exposições.

“As crianças que vêm durante a semana e trazem os familiares. É uma forma de criar semente na criançada”, disse o secretário-geral da SBPC, Paulo Hoffmann.

Afro e indígena

O encontro conta com um conjunto de atividades voltadas especificamente às populações e temáticas afro-brasileiras e indígenas. Entre os temas das conferências e palestras, estão a preservação das línguas indígenas, os impactos das ações afirmativas na academia e na produção científica, a atuação de intelectuais negras, cosmovisões de povos como os Guarani e os desafios às comunidades quilombolas no caso do acordo de salvaguardas envolvendo a base na cidade de Alcântara (MA).

Política de C&T

Uma parte importante das atividades do encontro é voltada a temas relacionados à área de Ciência e Tecnologia, das formas de produção de conhecimento nas universidades às maneiras de diálogo com a sociedade. Entre as mesas-redondas estão impactos sociais de ciência e tecnologia, perspectiva da pesquisa na pós-graduação e instrumentos de financiamento do setor.

Na abertura da reunião, em cerimônia ontem (21), a situação da C&T perpassou a fala de representantes de diversos segmentos. O ministro interino da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Julio Semeghini, apresentou iniciativas da pasta, como o programa Ciência na Escola, e defendeu a união das entidades do setor para mostrar a importância da área e para recuperar o orçamento do setor.

“Temos que aproveitar os esforços todos para trabalhar em rede. Vemos aqui uma diversidade muito grande. Que a gente consiga mostrar para os congressistas para voltar a ter uma relação de investimento sobre o Produto Interno Bruto (PIB) de cerca de 2%, quando hoje estamos perto de 1%”, disse o ministro.

O presidente da SBPC, Ildeu de Castro Moreira, destacou a importância da realização do evento em um quadro que caracterizou como um “momento difícil, de crise, da ciência brasileira”. “Estamos vivendo cortes acentuados no orçamento. Não podemos deixar de defender a ciência neste momento”, disse, acrescentando que a entidade vai continuar lutando também pela educação pública, gratuita e de qualidade.

A presidente da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), Flávia da Silva, também abordou a falta de investimentos no setor, questionando cortes em bolsas de órgãos como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) ou a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

“Capes e CNPq são patrimônios da ciência brasileira e precisam ser preservadas”, defendeu.

Categorias
Cotidiano

Lei altera o Modelo de Gestão de Tecnologia da Informação para a administração pública estadual

A Lei nº 16.921, que dispõe sobre o Modelo de Governança da Tecnologia da Informação e Comunicação para a Administração Pública Estadual, foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) em 9 de julho de 2019, alterando a Lei nº 13.494, de 22 de junho de 2004.

As sanções da referida lei instituem o Conselho Superior de Tecnologia da Informação e Comunicação (CSTIC), a quem compete a deliberação sobre estratégias, diretrizes, políticas corporativas, programas e projetos estruturantes e estratégicos de TIC para a Administração Pública Estadual, bem como a viabilização de orçamentos e recursos financeiros e tomada de decisões que assegurem a implementação das práticas de governança, incluindo ações do Governo Digital.

Institui também o Comitê de Governança de Tecnologia da Informação e Comunicação (CGTIC), responsável pelo assessoramento técnico do CSTIC. A lei atribui à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) a presidência e coordenação dos citados Conselho e Comitê. À Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (Etice), atribui-se a coordenação de Comitês Gestores (CG) e Grupos de Trabalho (GT) dependendo da especificidade do tema a ser tratado.

A Lei do Modelo também modifica a Lei n° 16.727, que instituiu, no âmbito interno da Administração do Estado do Ceará, o Programa hub de Tecnologia da Informação e Comunicação (HTIC). A principal alteração consiste na estrutura e sistema de governança do HTIC que devem ser implementados no prazo de 36 (trinta e seis) meses, incluindo o provimento em microinformática, serviços que usem nuvem computacional, suporte em soluções de software, além da manutenção de sistemas de informação, atendendo às demandas dos órgãos da administração direta, autarquias e fundações.

Categorias
Cidade

Veja modelos de celular que poderão perder o WhatsApp

Os usuários do aplicativo de mensagens WhatsApp que não trocaram ou atualizaram o sistema do seu celular nos últimos seis anos correm o risco de ficar sem o aplicativo. Usado para operações cotidianas, como troca de mensagens entre amigos, trabalhos na faculdade ou comunicação entre membros de uma empresa, o WhatsApp deixará de funcionar em breve em modelos de smartphone que a empresa não considera mais rentáveis para hospedar a plataforma.

O WhatsApp não listou os celulares que serão afetados, mas os sistemas operacionais, que o usuário pode verificar com facilidade no próprio aparelho. Para Androids, todos os modelos com sistema operacional 2.3.7 ou anterior a esses serão afetados. No caso de iPhones, iOS 7 e versões anteriores sofrerão com a decisão. A medida inclui, também, modelos que usam sistemas Android desatualizados, como o Samsung Galaxy S3 e Galaxy Nexus do Google. O mesmo vale para o Nokia S40 e Windows Phone com sistema operacional 8.0.

A lista também afeta os telefones da Apple e de outras marcas. Para o sistema operacional Windows Phone, o prazo final é 31 de dezembro, quando o aplicativo não estará mais disponível na loja online do Windows, a Microsoft Store.

Como saber se será atingido

Para Androids, acesse o menu “Configurações” do aparelho e procure a seção “Sobre o dispositivo” e depois “Info.software”. Ali, é possível encontrar a versão do sistema operacional que está instalada. Para os iPhones, procure a opção “Geral” no menu “Ajustes” e clique em “Sobre” para verificar a versão do iOS. Em alguns casos é possível atualizar o sistema, embora isso não seja uma regra geral.

(*) Informações do portal G1.

Categorias
Cotidiano

Pesquisa revela que 95,7% de brasileiros têm acesso a tecnologia 4G

Uma pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Telecomunicações, a Telebrasil, revela que a cobertura de telefonia 4G já está disponível para 95,7% da população brasileira. Fortaleza estava entre as seis cidades que receberam antenas para tecnologia, que chegou ao Brasil em 2013.

Ao todo, 4.485 dos 5.570 municípios brasileiros já tem acesso à tecnologia. Nos primeiros três meses de 2019, 6 milhões de novos celulares com a tecnologia 4G foram ativados. Os números representam um aumento de 23% no número de chips 4G.

O número de municípios conectados à rede 3G também cresceu no Brasil, chegando a 5.407 municípios em março. O Brasil agora tem 207 milhões de acessos à internet pela rede móvel. Ao se considerar também os acessos fixos, o número sobe para 238,2 milhões no país.