Categorias
Geral Destaque1

Ligações de telemarketing já podem ser bloqueadas a partir desta terça-feira (16)

Sem perturbação! A partir desta terça-feira (16) os brasileiros que sentem-se incomodados com as ligações de telemarketing não poderão mais ser alvo das operadoras de telecomunicações. Ao incluírem seu nome no site naomepertube.com.br, os consumidores estarão imunes às ofertas de pacotes de telefonia, acesso à internet e TV paga.

A medida, que segue determinação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), estabelece uma lista que atingirá as principais empresas do setor: Algar, Claro/Net, Nextel, Oi, Sercomtel, Sky, TIM e Vivo. Essas empresas também deverão, nesse prazo, criar e divulgar amplamente um canal por meio do qual o consumidor possa manifestar o seu desejo de não receber ligações.

Segundo a Anatel, caso uma pessoa solicite sua inclusão, porém, mesmo assim continue recebendo ligações de oferta de bens e serviços de telecomunicações, ela pode ligar para o número 1331 e fazer uma reclamação. As sanções podem variar de advertência a multa de até R$ 50 milhões.

Outra decisão da Anatel é que essas empresas não poderão mais efetuar ligações telefônicas com o objetivo de oferecer seus pacotes ou serviços de telecomunicações para os consumidores que registrarem o número na lista nacional a ser criada.

Categorias
Economia

Burocracia na emissão de licenças ameaça instalação de rede 5G no Brasil

O futuro está chegando? Para o Brasil parece que não. Nova rede de internet móvel que facilitaria o acesso entre as máquinas e tornaria viável muitos avanços, como carros autônomos, não tem data para chegar ao Brasil. A culpa é das prefeituras que demoram na emissão de licenças para instalação de mais antenas.

A preocupação quanto ao atraso também é compartilhada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o qual promete agir por meio de decreto para que o processo possa ser agilizado.

Algumas da novidades que o 5G vai permitir são: uma velocidade de conexão mais alta que no 4G, menor demora nas conexões, mais “conversa” entre as máquinas, além do avanço de novas tecnologias relacionadas a veículos e à mobilidade. 

Maior problemática para que isto se torne realidade é a quantidade de antenas, atualmente são cerca de 94 mil antenas para atender as redes 2G e 4G, um número aquém do necessário, sendo que a quantidade viável de antenas para o 5G tem de ser cinco vezes maior que o 4G, caso contrário, haverá um sério problema de implementação plena do novo sistema.