Categorias
Economia

Shoppings realizam saldo a partir desta sexta-feira

Tem início nesta sexta-feira, em quatro centros comerciais de Fortaleza, a campanha Super Saldo. O movimento ocorrerá nos seguintes locais: North Shopping Fortaleza, North Shopping Jóquei, North Shopping Maracanaú e Via Sul.

A promessa é que os descontos cheguem a 70% nas lojas participantes, atingindo, sobretudo, os produtos de cama, mesa e banho, e vestuário e eletrônicos. A expectativa é gerar um aumento de 8% nas vendas em relação ao mesmo período de 2018.

Os proprietários tem como objetivo zerar o estoque e estimular o crescimento exponencial da economia neste mês de setembro.

Categorias
Nacional Economia Destaque1

Para estimular economia, começa nesta sexta a Semana do Brasil

Começa hoje (6), e vai até o próximo dia 15 a campanha Semana do Brasil, movimento lançado pelo governo que visa a incentivar o consumo e estimular a economia do país. Até o momento, 4.680 empresas e entidades estão mobilizadas e vão participar da semana oferecendo descontos, promoções aos consumidores.

A semana, que aproveita as comemorações do 7 de setembro, data em que se celebra a Independência do Brasil, tem como mote “Vamos valorizar o que é nosso” e é inspirada em campanhas de varejo de outros países, como os Estados Unidos, que costumam realizar promoções em feriados nacionais. A proposta pretende gerar um ambiente de confiança para este e os próximos meses de 2019.

Uma parceria do governo com o Instituto para o Desenvolvimento do Varejo (IDV) ajudou a mobilizar, nos últimos meses, diferentes segmentos do varejo, comércio e serviços, para que buscassem as melhores formas de viabilizar as ações promocionais.

Além de empresários varejistas, também participarão das ações entidades representativas da indústria e comércio e veículos de comunicação, como a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), empresa pública do governo federal. Esses meios de comunicação vão veicular mensagens publicitárias com o mote “Vamos valorizar o que é nosso”. Para saber quem está participando da iniciativa basta acessar o site da Semana do Brasil:

Para as próximas edições, a ideia é estimular ainda mais o comércio por meio do compromisso da iniciativa privada com o desenvolvimento do País”, diz o ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos.

De acordo com o governo, a criação e o lançamento da campanha foram estrategicamente elaborados visando a realçar o mês de setembro como mais um período de promoções que, a exemplo do Natal, poderá contribuir para aquecer a economia, movimentando o comércio e estimulando o turismo interno.

Fonte: Agência Brasil

Categorias
Economia

Shoppings registram crescimento nas vendas de até 42%

Apesar do período de instabilidade econômica que vive o país, chegando a registrar queda do PIB no primeiro trimestre, o comércio dentro dos shoppings cearenses está fluindo muito bem e encontra-se em em alta.  O crescimento das vendas atingiu 42% no quadrimestre inicial do ano. 

Como prova desse ascensão, o comércio dentro dos Shoppings Centers está programado para receber, até o momento, cerca de 43 novas lojas. A construção de academias, supermercados e farmácias é uma metodologia exitosa, tendo em vista que aumenta o fluxo de pessoas dentro dos Shopping, colaborando para esse crescimento das vendas.

Por outro lado, o comércio varejista ampliado variou pouco nos primeiros três meses do ano (1% em janeiro, -0,5% em fevereiro e 1,1% em março). Os dados são da pesquisa mensal do comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Categorias
Política Nacional

Novo “Minha Casa Minha Vida” pretende acabar com vendas irregulares de imóveis

Programa Minha Casa Minha Vida passará por reformulação e terá mudanças significativas nas regras para adquirir o benefício. Em entrevista ao jornal Estado de São Paulo, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto afirmou que os mais pobres não precisarão mais pleitear um financiamento para conseguir a casa própria, devendo apenas contribuir com um valor simbólico para ter a oportunidade de alugar imóveis do governo. 

As mudanças nas regras serão feitas somente nas linhas destinadas a atender aos mais pobres, que acessam o Minha Casa Minha Vida por meio das chamadas “faixa 1” (para famílias com renda até R$ 1,8 mil) e “faixa 1,5” (com renda até R$ 2,6 mil). Na faixa 1, onde o governo chega a bancar mais de 90% do valor do aluguel do imóvel, foi identificada a maior parte das falhas do programa, de acordo com Canuto.

Um dos principais problemas é a comercialização irregular de casas. O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), que faz a gestão do programa, identificou que, em alguns casos, as famílias que se habilitam ao faixa 1 acabam vendendo os imóveis a terceiros para ganhar algum dinheiro e voltam, assim, à condição de vulnerabilidade.

O assunto foi destaque no Bate-Papo político desta sexta-feira (24) do Jornal Alerta Geral (Expresso FM 104.3 + 26 emissoras do interior + Redes Sociais).  O jornalista Beto Almeida aponta vários motivos para essa intenção do governo de alterar as regras do benefício:

o governo tá querendo mudar por vários aspectos.  Mas uma das coisas que o governo quer evitar é o que está acontecendo aqui mesmo no estado do Ceará, a invasão dos imóveis, a venda irregular desses imóveis, uma família recebe, vai morar e com pouco tempo tá lá anunciando nas redes sociais, colocando placa, não pode. É um imóvel que tem até 90% ou mais de 90% de financiamento da união, dado pela união par as familias que precisam, que são carentes. Outro probelma grave é o fato que o crime organizado esta atuando e tomando conta desses grande condomínios chegando a expulusar moradores.

O jornalista Luzenor Almeida ressalta que as administrações públicas precisam manter um olhar mais preciso nas fiscalizações sobre essa comercialização inadequada:

As prefeituras que são responsáveis pelo cadastro do Minha Casa Minha Vida precisam também ser mais rigorosas na fiscalização sobre o destino desses imóveis. Tanto as prefeituras, quanto o governo federal, quanto o governo do estado. Não dá pra deixar escancarada essa comercialização de imóveis que são financiados com dinheiro público e são destinados as pessoas de baixa renda. Então esse comércio que é marcado pela presença de oportunistas que querem ganhar em um caminho mais fácil, precisa ser contido esse comércio.

De acordo com o jornalista Beto Almeida, a família terá de efetuar o pagamento de uma certa faixa de valor durante 20 ou 30 anos e somente quando chegar no final do período ele pagar um valor venal e vai receber o imóvel como seu, porém até lá o imóvel pertence a União. Segundo Beto, a medida fará com que a Polícia Federal atue diretamente no combate as invasões, já que o imóvel é de responsabilidade da União.

O Ministério do Desenvolvimento Regionall (MDR) ainda afirmou  que a família poderá optar por fazer um empréstimo para a aquisição da casa que estava alugando do Estado. Independentemente do imóvel escolhido, os beneficiários terão prioridade para acessar os financiamentos das faixas superiores do Minha Casa.